África do Sul: roteiro de 2 semanas

 

África do Sul: um destino surpreendente que estava na minha lista de desejos há muito tempo! Um sonho antigo que eu tinha era ver animais selvagens em seu habitat natural. Mas fazer safari é quase um pequeno detalhe em meio a tantas belezas que este país oferece! E não são só as paisagens, a comida deliciosa e os excelentes vinhos, mas também o carisma das suas pessoas. Impossível não deixar um pedacinho do seu coração na África do Sul!

Vou confessar que deu um trabalhão planejar este roteiro! Isso porque tem muita coisa pra ver na África do Sul! E nós ainda inventamos de colocar a Suazilândia no roteiro (quem resiste a mais um carimbo no passaporte? =D). Ficou um pouco corrido, eu confesso! Mas conseguimos fazer as coisas que mais tínhamos vontade, sem nos cansarmos! Neste caso, planejar o máximo possível com antecedência é essencial! E agora eu trago tudo em detalhes, contando como foi cada etapa de nossa viagem! Quem sabe esse roteiro é exatamente o que você está sonhando! 
Ah, aos poucos publicarei posts de cada destino, com mais detalhes de atrações, hospedagem e restaurantes!

Kruger National Park

Nosso vôo aterrissou em Johanesburgo às 7h30 da manhã e entre o tempo de passar pela imigração, pegar as malas, o carro alugado, e comprar chip de celular, já se foram mais de 2 horas. Deixamos o aeroporto às 10h e seguimos para o Kruger, onde passaríamos a primeira noite. Aliás, já tínhamos reservado um safari para o primeiro dia e corremos o risco de perder, caso houvesse muito atraso no voo.
Dirigir por mais de 5 horas na mão inglesa, após passar uma noite no avião pode parecer loucura (e é um pouco mesmo! kkk). Mas acabou sendo bem tranquilo. As estradas são muito boas, e a viagem fluiu super bem! Mas é bom eu contar pra vocês que não foi a primeira vez do marido dirigindo na mão inglesa, tá?) 
Antes mesmo de chegarmos ao Skukuza Camp (vou escrever tudo em detalhes sobre isso, porque foi um trabalho danado conseguir acomodação dentro do parque!) vimos um Warthog (animal parecido ao javali), uma hiena e um pequeno elefante! Fizemos check in e corremos para o nosso Sunset Drive. Não fomos os mais sortudos, mas mesmo assim vimos diversos animais como: rinoceronte, hienas, muitas impalas, kudus e alguns felinos como Ginete e Civet.
Voltando do game, descansamos um pouquinho e jantamos no restaurante do Skukuza - Cattle e Baron (é uma rede que tem unidades em diversos parques nacionais).
No dia seguinte, pulamos cedinho para fazer o Sunrise drive. Voltando, tomamos um café com calma, fizemos o check out e partimos para um self drive. Nas duas noites seguintes, dormiríamos fora do parque.
Chegamos ao próximo hotel à tarde e descansamos um pouco. O Protea by Marryot Kruger Gate é uma opção boa para quem não tem orçamento pra ficar nos lodges de luxo, mas quer algo diferenciado. E fica vizinho ao portão do parque!

Panorama Route:

Tiramos um dia para percorrer a Panorama Route (a pouco mais de 100 km do hotel), onde fica o terceiro maior cânion do mundo! Paramos em vários pontos de observação, sendo o mais bonito o Three Rondavels. Na volta, almoçamos bem tarde em Graskop, para comermos panqueca, prato típico na região.
No último dia na região do Kruger, fizemos um self drive pela Lower Sabie Road e deixamos o parque rumo à Suazilandia

Suazilandia

Incluímos 2 noites de nosso roteiro para conhecer um pouquinho desse país pequeno e acolhedor. Nos hospedamos dentro do parque Hlane, onde dormíamos escutando o rugido dos leões! Alem de fazer safari, visitamos uma Vila Cultural do Vale de Ezulwini.

Garden Route

Depois de fazer safaris no Kruger e na Suazilandia. voltamos pra Johanesburgo, pegar um vôo para Port Elizabeth. Deixamos esta noite sem reservar hotel, pois não sabíamos exatamente onde iríamos dormir. Como o vôo atrasou, acabamos chegando meio tarde, mas tocamos até Jeffrey's Bay.

No dia seguinte, demos um passeio pela praia, conhecer o Oceano Índico! Aí tocamos para Storms River, de onde iríamos explorar o Parque Nacional de Tsitsikama, o ponto mais esperado da Garden Route (pelo menos pra mim! kkk)
Storms River é uma micro cidade, muito fofa, que serve de base para explorar o parque, que realmente é lindo, superando as expectativas. Voltando para Storms River, dei uma caminhada pela cidade e à noite saímos para jantar.
Havíamos deixado a próxima noite em aberto. A ideia era passar o dia na estrada, parando nos lugares de interesse. Seguindo as dicas das donas da pousada em que nos hospedamos, planejamos chegar até Swellendam. que fica a 168 km de Mossel Bay, e a 172 de Franshhoek, nosso destino seguinte.
Nossa primeira parada foi em Knysna, onde conhecemos o Pier (lindinho) e Knysna Heads. Depois, fomos até Mossel Bay, onde almoçamos em um restaurante com vista para o mar. Chegamos em Swelendam à tarde e tratamos de arrumar um lugar pra dormir. Como é a terceira cidade mais antiga de África do Sul, a cidade tem inúmeros edifícios históricos, incluindo a Guest House em que nos hospedamos (Cypress Cottage). A cidade tem ótimos restaurantes e não foi difícil ter um belo jantar.

Franschhoek - região vinícola

Dia seguinte, um tour rapidinho para algumas fotos em Swelendam (que nem estava em nosso roteiro, mas adoramos!) e seguimos para Franschhoek, onde o plano era visitar alguma(s) vinícola(s). Eu esperava encontrar uma região bonita e caprichada, mas não tinha ideia do que iria encontrar pela frente! Franschhoek é lindeza definida!
Escolhemos começar pela Vinícola Boschendal e acabamos optando por não visitar outra vinícola. Ao invés disso, relaxamos e curtimos nossa degustação ao ar livre em um cenário idílico!
A tarefa mais difícil do dia foi escolher o restaurante para jantar, já que Franschhoek é a capital gastronômica da África do Sul. Mas cumprimos a tarefa com sucesso!

Cape Town

No dia seguinte, seguimos para Cape Town. Teríamos carro por 2 dias e resolvemos deixar os passeios na região mais central para os 2 últimos dias.
Como chegamos em Cape Town antes do previsto, deixamos as malas no hotel e descobrimos que o bondinho da Table Mountain estava fechado! Decidimos tentar fazer a trilha para subida. Eu desisti nos primeiros 20 minutos (=D), mas os meninos conseguiram chegar até o final. A trilha é bem puxada, caminhando por pedras e pode levar mais de 2 horas só pra subir.
Neste dia, fomos também à Signal Hill, que tem um visual lindo da Table Mountain. E ainda terminamos o dia no Waterfront, onde jantamos.
Tiramos o segundo dia para conhecer o Cabo da Boa Esperança, passando pela Chapman's Peak Drive, o caminho mais demorado (e mais cênico).

No caminho de volta, paramos em Boulder's Beach, conhecer uma colônia de pinguins. Na volta a Cape Town, devolvemos o carro e à noite rolou jantar no Water Front.

No terceiro dia em Cape Town, fizemos um tour guiado pelo centro histórico chamado "Apartheid to Freedom". Foi uma aula de história que englobou muito além do Apartheid e nos permitiu entender um pouco melhor a história da Africa do Sul (o tour é todo em Inglês).
De volta para a Green Market Square, fizemos algumas comprinhas (depois vou contar porque não é uma boa opção comprar ali...rs) e caminhamos até Bo Kaap, o bairro malaio com casinhas coloridas! E ainda fomos passear no Waterfront e conhecer o Aquário!

No quarto e último dia em Cape Town, passeamos pelo Company's Garden e visitamos o Isiko Museum (National Museum), com um acervo bem interessante de história natural.


Nosso almoço foi no Food Lovers Market e ainda aproveitamos um finalzinho de tarde e jantar no Waterfront para nos despedirmos de Cape Town e de nossa viagem inesquecível!

Último dia do roteiro, pegamos o vôo para Joanesburgo e de lá, o vôo para São Paulo, já que não há voos diretos de Cape Town para o Brasil...

Vôos e logística

Compramos as passagens pela South African Airlines. Nosso vôo saiu de São Paulo no dia 18/07 e chegou em Johanesburgo no dia 19 às 7h30 da matina. Depois de alguns dias, voltamos para Joburg pegar um voo para Port Elizabeth, onde alugamos outro carro pra percorrer a Rota Jardim,  a região vinícola e Cape Town. Optamos por ficar os 2 últimos dias em Cape Town sem carro, e fizemos passeios mais centrais, usando Uber.

Para planejar esta viagem, li inúmeros posts de blogs de viagem, com dicas infalíveis sobre a África do Sul. Recomendo que também leiam:
Se Lança
- Viajando por Aí
- Juntos na Estrada
- Tá Indo pra Onde
- Revivendo Viagens

Outra coisa que me salvou a vida, foi o guia "Se Lança para a Africa do Sul", com muitas informações práticas. Salvei no meu celular e consultava sempre que preciso!

Enfim, só posso terminar o post dizendo que recomendamos demais uma viagem por este país inesquecível! Ficamos apaixonados! E continue acompanhando que ainda tem muito post dessa viagem por vir!

Gostou do post? Salve nos seus pins (Pinterest) pra rever com calma depois!

Se você gosta de nossas dicas e acompanha o blog, que tal fazer as reservas de sua próxima viagem através de nossos parceiros? Você não paga nada a mais e nós ganhamos uma pequena comissão! O Trilhas e Cantos tem parceria com o Booking e RentCars (que pesquisa preços em várias locadoras) É só clicar nos banners abaixo:







Já está nos seguindoFique por dentro de todas as postagens, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMPINTEREST, GOOGLE + e TWITTERAssine também nosso FEED! Assim, você não perde nenhuma novidade!

12 comentários

  1. Lili,
    Lendo seu post fiquei ainda com mais vontade de conhecer logo a Africa do Sul. E planejando a viagem, sinto o mesmo que você: o país tem muitas rotas lindas para serem percorridas e é muito difícil conciliar tudo o que. queremos conhecer em pouco tempo.
    Amei o post e já foi para os favoritos.
    beijos,
    Fran @ViagensqueSonhamos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Fran!!!! Menina, acho que é um país pra voltar 1000 vezes! Tem lugar pra mim na seu grupo? (kkkkk)

    ResponderExcluir
  3. Liliane, parabéns, adorei! Muito bom ler seu post e ver suas fotos. Ficamos os mesmos dias, porém com roteiro um pouco diferente, mas não tenho dúvida que ambos foram maravilhosos. É difícil colocar em palavras a emoção de fazer um safari e de conhecer a beleza das paisagens Sulafricanas! Foi muito bom ter conhecido vc nessa viagem. Ganhou uma seguidora. Bjs com carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rita!!!! Muito obrigada!!!! Também adorei conhecer sua família! Também fiquei babando nas suas fotos! Seus safaris foram incríveis...
      Muito bom ter sua visita aqui no blog! <3

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Africa do Sul nunca é um destino do topo da minha wishlist, mas cada post q leio dá aquela animada!
    Mas parece ser uma viagem cansativa, cheia de rotas de carro. Isso me desanima.
    E custos? Tem q vender os rins?

    BJs e parabéns pelo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, tudo bem? A África do Sul tem muitas atrações e algumas bem distantes das outras, por isso um carro é quase que fundamental. Mas depende muito de como você planejar o roteiro... É só eleger prioridades e será menos cansativo.
      Quanto ao custo, posso te contar um segredo? (KKK) Gastamos bem menos do que viagem pra Europa e até do que a que fizemos ano passado pros Estados Unidos. Mas não ficamos em hotéis luxuosos, tá? Bjs!!!

      Excluir
  6. Adorei o post Liliane! Você como sempre inspirando a gente com seus destinos incríveis. A África do Sul também está na minha lista de desejos, tô apaixonada pelas fotos! Bjs

    ResponderExcluir
  7. Menina quanta coisa fizeram nesta viagem!!! Uau!
    Adorei ler seu roteiro, deu vontade de voltar, e já estou esperando os detalhes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Tati!!! Menina, ainda tem tanto pra contar! =D Um beijo!

      Excluir
  8. Ai que legal que ficou o roteiro! Tb fiquei 2 semanas, mas não cheguei a conhecer Johannesburgo e safari eu fiz perto de Port Elizabeth mesmo. Nós 2 ainda temos que voltar pra conhecer + da África do Sul! rs

    ResponderExcluir

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Topo