3 Filmes sobre a segregação racial nos Estados Unidos e um roteiro de viagem

13 de setembro de 2018

Muita gente ainda se impressiona quando descobre que até recentemente houve uma espécie de "apartheid" ou segregação racial nos Estados Unidos. Até a década de 60, em muitos lugares - em especial no sul do país - brancos e negros não podiam compartilhar de muitos espaços públicos como banheiros, bibliotecas ou lanchonetes.
Isto já foi contado em filmes, livros e documentários e uma das figuras históricas mais lembradas é a do reverendo Martin Luther King Jr. Mas há muitas figuras menos conhecidas que lutaram por uma lei de que garantisse a igualdade de direitos a qualquer pessoa. 3 filmes relativamente recentes fazem referência a este período triste da História. Gostei muito deles a ponto de querer compartilhar com vocês! Prepare a pipoca e pegue muitos lenços de papel!
De bônus, vou indicar um livro e um roteiro inspirado na luta pelos direitos civis, pelo sul dos Estados Unidos.

Histórias Cruzadas 

The Help, Direção: Tate Taylor, 2011


Baseado no livro "The Help", que foi traduzido para o português como "A Resposta", este filme coloca em pauta as relações entre domésticas negras e suas "patroas" em uma cidadezinha do Mississipi nos anos 60.
Uma aspirante a escritora, que é contra o regime de segregação vigente no Mississipi, com muito custo, convence algumas mulheres a contarem suas experiências e os relatos extrapolam o que elas vivenciam no trabalho.
Um assunto que fica em pauta no filme e rende uma das poucas cenas cômicas, é sobre a construção de banheiros separados para uso pelas empregadas, o que era considerada uma medida de higiene.
Alguns relatos mostravam que muitas vezes, as empregadas eram tratadas como propriedades - apesar de serem livres e (mal) remuneradas - era quase uma tradição que as filhas das domésticas passassem a trabalhar para filhas das patroas.
Entre os fatos históricos mencionados no filme, está o assassinato de Medgar Evens, um importante líderes na luta pelos direitos civis, que foi baleado na garagem de sua casa, na frente de seus filhos.
Embora o filme seja fictício, a história é verossímil e denuncia os casos de humilhação, violência e inferioridade com que eram tratadas as pessoas negras. Impossível assistir e não se emocionar ou, ao menos, se indignar.

Estrelas além do Tempo

Hidden Figures, Direção: Theodore Melfi, 2016


O filme que fez bastante sucesso no Brasil conta a história de 3 mulheres negras que trabalhavam na NASA nos anos 60. Brilhantes, todas ambicionavam progredir na carreira, o que era um duplo desafio - por serem negras e por serem mulheres.
Entre todas as dificuldades que enfrentavam no cotidiano, como cuidar dos filhos, da casa, se casar e fazer outra faculdade, ainda havia o fato de ter que andar centenas de metros e às vezes tomar chuva para usar um banheiro, ou mesmo ter uma cafeteira separada no escritório.
A cena mais linda (na minha opinião) é quando o diretor Al Harrison fica sabendo da segregação nos banheiros, pega uma marreta e quebra a placa de "Coloured Only".
No final do filme, aparecem fotos das mulheres nas quais as personagens foram baseadas. Sério... só de lembrar de algumas cenas do filme eu me emociono!

O Mordomo da Casa Branca

The Butler, Direção: Lee Daniels. 2013



Creio que se tivesse que recomendar apenas um filme da lista, seria esse! Não que seja meu favorito (eu gosto mesmo é de Histórias Cruzadas), mas porque é o que traz mais elementos históricos, como o assassinato do presidente Kennedy, por um extremista branco. Isso porque Kennedy defendia a votação da Lei de Direitos Civis e enfrentou muita resistência dos estados do sul.
Não quero dar muito spoiler do filme, mas ele conta a história de Eugene, o mordomo da Casa Branca. Vários conflitos são vivenciados em sua família, quando seu filho se torna um ativista na luta pelos direitos civis, e não compreende o comportamento supostamente "conformado" do pai à dura realidade que os negros viviam na época. O filme mescla personagens fictícios e históricos, por isso é um prato cheio para entender melhor esse período da história.

Bônus:
A luta pelos direitos civis nos Estados Unidos também é retratada no romance "A Eternidade por um Fio" de Ken Follet, que faz parte da "Trilogia do Século XX" e tem como pano de fundo a história da guerra fria. Outro filme (que aliás, ainda não vi! rs) é Selma, que fala da marcha pela liberdade, da cidade de Selma a Montgomery, no Alabama

Agora, com filmes indicados, vamos pensar em uma viagem?

Um roteiro pela História dos Direitos Civis

A cidade de Birminghan, Alabama guarda muitas memórias da luta pelos direitos civis como o Dexter Avenue King Memorial Baptist Church, memorial na igreja onde Martin Luther King foi pastor durante anos. A ponte Edmund Pettus, que atravessa o Rio Alabama presenciou conflitos durante a luta pelos direitos civis
No Rosa Parks Museum é possível ver os ônibus que foram sinônimo de segregação na cidade. Outros pontos no estado do Alabama que contam esta história são: National Voting Rights Museum (Selma), Tuskegee Human & Civil Rights Multicultural Center e Birmingham´s Civil Rights Institute e o Civil Rights Memorial Center (Montgomery) com seu muro da Tolerância “Wall of Tolerance” onde os viajantes podem fazer um juramento de promover a tolerância racial. E já que está em Birminghan, conheça mais sobre a cena gastronômica da cidade!


Se quiser saber mais sobre a vida de Martin Luther King Jr, continue a viagem até o Tennessee, na cidade de Memphis. O Museu de Direitos Civis (National Civil Rights Museum) fica próximo ao local onde Luther King foi assassinado e boa parte do acervo é dedicada à vida do ativista.

Este é apenas um "tira-gosto" das muitas experiências históricas que se pode aproveitar no sul dos Estados Unidos. Confira aqui um roteiro pela história dos direitos civis.

Nós ainda não viajamos pelos estados do sul, por isso, as sugestões de atrações foram baseadas no material enviado pela "Travel South USA" e você pode encontrar muito mais neste site!

Recomendo também um vídeo da Renata Pereira, sobre o que fazer em Birminghan! Ela explorou bem a questão da luta pelos direitos civis em seu tour pela cidade!

Planeje sua viagem!

Se você gosta de nossas dicas e acompanha o blog, que tal fazer as reservas de sua próxima viagem através de nossos parceiros? Você não paga nada a mais e nós ganhamos uma pequena comissão! É só seguir os links:
Reserve seu hotel pelo Booking

Já está nos seguindo?

Fique por dentro de todas as postagens, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMPINTEREST, GOOGLE + e TWITTER. Assine também nosso FEED! Assim, você não perde nenhuma novidade!

* Fotos: divulgação de filmes e Travel South USA.

2 comentários

  1. Muito bom esse roteiro! Vou postar no grupo de minha turma de História porque é importante que percebam as estreitas ligações entre as mentiras de Trump a respeito da Africa do Sul e o passado estadunidense!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ana!! Queria MUITO mesmo que vc visse com seu olhar de historiadora! Grata pela leitura!

      Excluir

Queremos saber sua opinião! Deixe um comentário!!!