Pantanal em 4 dias: Aventura para encontrar a Onça Pintada

onça pintada pantanal

O Pantanal é um destino perfeito para quem ama ecoturismo. Há muitas atrações turísticas, mas sem dúvida o melhor de tudo é poder ver animais selvagens, como a onça pintada. Ainda não realizamos este sonho de viagem, mas nossos amigos Rogério e Ana fizeram uma viagem linda pra lá. Fiquei super feliz quando o Rogério (siga no Instagram: @rogger10) aceitou compartilhar a experiência e as fotos maravilhosas com nossos leitores! E aí, vamos passear pelo Pantanal?

Roteiro de 4 dias no Pantanal, Mato Grosso

"Sempre foi um sonho ver de perto e fotografar o maior felino das Américas, a onça pintada. Antes de embarcar nessa aventura, é preciso saber que, no pantanal, as estações são bem definidas, com um período de chuvas que vai de novembro a março e a época de seca, entre abril e outubro. O melhor período para observar os animais é na seca, quando os bichos vão para perto dos rios em busca de água. Com isso, a maior facilidade em ver a onça.

Porém, sempre tive um problema. Eu saio em férias no começo do ano, bem no auge das cheias do pantanal. Mas, consegui dois dias de folga no segundo semestre. Então, surgiu a oportunidade de fazer um bate-volta no pantanal para fotografar a natureza. Seria uma viagem rápida, de quinta-feira a domingo. Teria que ser muito bem planejada. E foi... 

Dia 1

No meio de setembro, uma quinta-feira, pegamos o primeiro voo para Cuiabá. Com o fuso horário ganhamos uma hora, chegando na capital mato-grossense às 8h da manhã. Alugamos um carro e seguimos por 100 quilômetros até Poconé, cidade onde fica o início da transpantaneira. Na transpantaneira há vários hotéis e pousadas para quem quiser se hospedar. Mas, optamos pelo hotel do Sesc Porto Cercado, que fica em outra direção, a 38 quilômetros da cidade.
O check-in no hotel estava previsto para 14 horas e chegamos muito cedo. Decidimos, então, dirigir um pouquinho na transpantaneira, para conhecer parte da estrada que iríamos encarar no dia seguinte. Andamos 15 quilômetros até o portal do pantanal e tiramos algumas fotos. O calor era muito forte, quase 40 graus por volta de meio dia.

Transpantaneira Pantanal Mato Grosso
Portal do Pantanal

O almoço foi na cidade de Poconé. Foi aí que comi a famosa farofa de banana. Uma delícia da culinária mato-grossense. E seguimos para o hotel do Sesc.

Como a ideia era não perder tempo, assim que chegamos no Sesc agendamos um passeio fluvial pelo Rio Cuiabá, até o corixo do Moquém. Os corixos são pequenos canais que se formam durante as cheias e fazem a ligação dos rios maiores com as lagoas.
O piloto do barco também é um guia, que ajuda na identificação dos animais e da flora que a gente encontrava pelo caminho.

Pantanal Mato Grosso
Aves no rio Cuiabá
O horário do passeio é bem estratégico, porque a gente ganha de presente o pôr do sol no final dessa aventura.
Pantanal Mato Grosso


Dia 2


Como a proposta era aproveitar muito bem o tempo, agendamos para o dia seguinte um passeio fluvial chamado alvorecer. O barco sai antes do sol nascer. O objetivo era parar em um lugar estratégico no rio Cuiabá para ver o sol aparecer. Por causa das queimadas na região, havia bastante fumaça no horizonte, o que provocou um efeito bem diferente e bonito.

Pantanal Mato Grosso
Nascer do Sol
Na volta para o hotel, ainda pudemos ver mais alguns animais nas margens do rio.
Pantanal Mato Grosso
Iguana
A estrutura do Sesc é bem completa. Tem ainda o borboletário, o formigueiro e a coleção de bichos.
Pantanal Mato Grosso
Borboletário
Sesc Porto Cercado Pantanal Mato Grosso
Sesc - Porto Cercado
Deixamos o hotel por volta de meio-dia e partimos para a transpantaneira rumo ao coração do pantanal mato-grossense. O percurso de 140 quilômetros nos levaria até o final da estrada, onde fica o hotel Pantanal Norte. A viagem, segundo os moradores da região, pode ser feita em duas horas e meia. Mas, como a gente estava a passeio, o trajeto foi feito em seis horas. Paramos logo no começo em uma das pontes. As margens da estrada estavam alagadas e conseguimos ver muitos jacarés, gaviões a outras aves.
Pantanal Mato Grosso
Transpantaneira
Pantanal Mato Grosso
Transpantaneira

Durante o percurso, o motorista precisa ficar atento porque, a qualquer momento, algum bicho invade ou atravessa a pista. Uma ema surgiu do meio do mato e foi um grande susto. Conseguimos ver ainda uma cobra cruzando a estrada.

A cada paisagem diferente a gente parava o carro para fotografar. Um ninho de tuiuiú, com a mãe e dois filhotes chamou nossa atenção.
Pantanal Mato Grosso
Ninho Tuiuiu
Também encontramos um ninho enorme de ararinhas, que parecia até um condomínio.
Pantanal Mato Grosso
Ninho Ararinhas
Já estava escuro quando chegamos no hotel. No dia seguinte, a gente ia sair bem cedo em busca do principal objetivo da aventura: encontrar a onça pintada.

DIA 3

O café da manhã é bem cedo, das 5h às 7h. Isso porque a maioria dos hóspedes é formada por gente que quer pescar ou observar a natureza. E, para isso, é preciso acordar antes do sol nascer. O curioso é que os brasileiros eram os pescadores. Os estrangeiros eram fotógrafos de natureza. Só a gente contrariava essa regra, porque nosso objetivo era conhecer a natureza e ver, pelo menos, uma onça pintada.
O nosso barco saiu às seis da matina. Com o nosso piloto e guia Edson, subimos pelo rio São Lourenço em direção ao parque estadual Encontro das Águas, local que, segundo os moradores da região, tem a maior concentração de onças pintadas do mundo. O objetivo do nosso passeio era ver a onça, mas também outros animais. E logo conseguimos observar algumas ariranhas. Elas não são atacadas pelas onças porque andam em bando e umas defendem as outras em caso de ataque.
Ariranha
Os barcos são equipados com rádio de comunicação. Assim quando um piloto encontra uma onça, ele avisa os outros e, rapidamente, todos conseguem chegar ao local. Então, depois de três horas, conseguimos ver a nossa primeira onça. Ela estava dormindo perto do rio. E ficou deitada por várias horas. Tiramos algumas fotos. E ficamos alguns minutos contemplando a beleza desse animal na natureza. Todas as lentes voltadas para ela que, naquele momento, era a estrela do lugar.

Pantanal Mato Grosso
Fotógrafos e turistas
Decidimos sair e procurar outros animais. Nosso guia seguiu para outros pontos. Decidimos não voltar para o almoço e ficar o dia todo no barco. Para isso, levamos alguns lanches, preparados pelo pessoal do hotel. O barco também tinha água. Todas as embarcações são equipadas com cobertura retrátil, mas não foi necessária, uma vez que o dia estava nublado. Mas, foi importante usar camisa de manga comprida, repelente, protetor solar e óculos escuros.
No começo da tarde veio outro aviso. Uma outra onça estava dormindo em uma árvore. Fomos até lá. Mas, ao chegar no local, notamos que alguns passageiros de outros barcos desceram na outra margem. Esse procedimento é proibido e alguns guias até ficaram revoltados com essas pessoas. Mas, já era tarde. A onça, percebendo a movimentação, ficou assustada, desceu da árvore e entrou na mata. Nossa frustração só não foi completa porque conseguimos vê-la em outro ponto, uns cem metros depois, quando ela passou perto da margem e conseguimos fazer o registro.
onça pintada pantanal
Onça Pintada
Com duas onças fotografadas, a missão já estava cumprida. Mas, continuamos nosso passeio, olhando as margens do rio a procura de outros animais. A variedade de aves é imensa e contribuiu para os nossos registros.
Pantanal Mato Grosso
Martin Pescador
E bem no final do dia, o rádio avisou de mais um felino. Fomos a toda velocidade até o ponto exato. Ela já tinha entrado no mato. Ficamos alguns minutos esperando e, para nossa sorte, ela voltou. Parece que veio ali só para fazer pose.
onça pintada pantanal
Onça Pintada
A onça passou bem calma na nossa frente, parecia estar desfilando para mostrar sua força e beleza. Deitou em um canto, se deixou fotografar. Ficou ao alcance dos nossos olhos cerca de 10 minutos. E foi embora entre as árvores. A nossa alegria era imensa. Três onças em um único dia. O Edson esnobou, disse que foi um dia fraco, mas para nós foi mais que suficiente, foi perfeito.
onça pintada pantanal
Onça Pintada
O dia terminou com esse maravilhoso pôr do sol.
Pantanal Mato Grosso
Rio São Lourenço


DIA 4

O dia da volta. Acordamos cedinho e, depois do café da manhã aproveitamos para andar pelas dependências do hotel e fazer boas fotos do lago com vitórias-régias.
Pantanal Mato Grosso
Vitórias-régias
Também vimos de perto muitas araras azuis.

Pantanal Mato Grosso
Araras Azuis
Deixamos o hotel às dez da manhã. Com tranquilidade, fizemos mais algumas paradas na transpantaneira. São 120 pontes, só 30 de concreto. A grande maioria é construída em madeira.
Pantanal Mato Grosso
Transpantaneira
Chegamos em Cuiabá a tempo de pegar nosso voo às sete da noite. Foi uma aventura rápida, recompensada pelas imagens inesquecíveis.

Dicas


- Planeje com antecedência para garantir sua vaga. O pantanal de Mato Grosso é um destino muito procurado por pescadores e estrangeiros na época de seca.
- Leve muita água na bagagem. Nessa época do ano, as temperaturas passam dos 40 graus.
- Não esqueça do protetor solar e do repelente. Camisas de manga longa também ajudam a proteger do sol nos passeios de barco. Óculos de sol também são essenciais.
- Não esqueça da máquina fotográfica, com baterias extras e muitos cartões de memória"

***Meu muito obrigada pelo relato, Rogério!***

Se quiser ver mais fotos do Rogério Siqueira, siga pelo Instagram: @rogger10

Crianças

O Hotel Sesc Porto Cercado aceita crianças: até 4 anos elas não pagam e há tarifas especiais para crianças de 4 a 12 anos.  Não é preciso ser comerciário para se hospedar, mas associados têm descontos nas tarifas. Mais informações no site do Sesc Porto Cercado.

Gostou do post? Salve no Pinterest

Planeje sua viagem

Se você gosta de nossas dicas e acompanha o blog, que tal fazer as reservas de sua próxima viagem através de nossos parceiros? Você não paga nada a mais e nós ganhamos uma pequena comissão! O Trilhas e Cantos tem parceria com o Booking e RentCars (que pesquisa preços em várias locadoras) É só clicar nos banners abaixo:





Já está nos seguindo? Fique por dentro de todas as postagens, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMPINTEREST, GOOGLE + e TWITTER. Assine também nosso FEED! Assim, você não perde nenhuma novidade!

* Uma outra opção de viagem ao Pantanal, é no Mato Grosso do Sul, conjugando com Bonito. A Fran do Viagens que Sonhamos fez essa viagem com a família e conta aqui neste post.

13 comentários

  1. Fiz de Porto Alegre até Bonito de carro. Foi uma viagem incrível, a paisagem é formidável. Lendo teu post, relembrei das belezas do Mato Grosso. Adorei. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu ainda preciso conhecer as belezas do Mato Grosso!

      Excluir
  2. Que viagem incrível ! Está na minha lista de desejos ! Eu sou muito medrosa e não sei se quero ver onça pintada assim tão perto mas gostaria de fazer esse passeio. beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lilian, também está na minha lista de desejos!

      Excluir
  3. Que legal saber que é possível fazer em poucos dias. Acho sempre o máximo estes passeios de encontro com a natureza e adorei as dicas. Lindas fotos e ficas precisas. Muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também me animei com essa possibilidade, viu, Tati?

      Excluir
  4. Uau! Que aventura. Só pelo título fiquei interessada. hahah! Amei essa viagem sua. E essas fotos? Fabulosas! Meus parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Keul, não foi uma viagem minha! O relato é de um amigo meu. As fotos ficaram demais, né?

      Excluir
  5. Lili, adoro suas viagens e seus posts (acho que já disse isso, né?). Pantanal nunca tinha passado pela minha cabeça e agora fiquei louca de vontade!!! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!!!! Eu também estou louca pra conhecer o Pantanal e o relato do meu amigo só atiçou a vontade!

      Excluir
  6. Miga vc é toda JUMANJI né? rs Eu acho lindo ler e saber pelos outros, mas nao sei se é o tipo de passeio que eu curto nao. Enquanto nao sei, continuarei lendo todos seus posts e viajo com vc! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mel, então... eu imagino que eu vá curtir bastante quando eu conhecer o Pantanal também.

      Excluir
  7. Eu me devo essa viagem e esse seu post com essas fotos lindíssimas só aguçaram mais a vontade. Obrigada por compartilhar.

    ResponderExcluir

Queremos saber sua opinião! Deixe um comentário!!!

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Topo