Grand Canyon: um guia para explorar o lado Sul

Grand Canyon lado sul
O Grand Canyon é o parque nacional mais visitado dos Estados Unidos e quando você está lá, olhando para aquela imensidão, dá para entender porque é considerado uma maravilha natural e se tornou patrimônio da Unesco.
Moldado, em grande parte, pela força das águas do Rio Colorado, o cânion revela em suas camadas coloridas, diferentes períodos da sua história. Aliás, historinha comprida, viu? Estima-se que ele vem sendo formado há mais de 1 bilhão de anos!! Só pra situar: os primeiros dinossauros surgiram há 220 milhões de anos. 


South Rim - o lado sul

Costuma-se dizer que este é "o filé" ou a "cereja do bolo" do Grand Canyon. De fato, o lado sul oferece uma ótima estrutura de turismo e uma experiência bem completa do parque. 
Grand Canyon
Além de dezenas de pontos de observação diferentes, há locais históricos - como o Kolb Studio e o Bright Angel Lodge, o Museu de Geologia, um centro de visitantes super equipado, um mercado completinho e algumas opções de hospedagem. Isto sem falar das trilhas!
Grand Canyon lado sul
Por isso, neste post, reuni algumas dicas para ajudá-lo(a) a preparar um passeio ao lado sul, com tudo que se tem direito!

Como chegar

A maneira mais "manjada" de ir ao Grand Canyon é por Las Vegas, onde chegam voos diretos do Brasil. De lá, são aproximadamente 4 horas de estrada - boa e sem pedágio. A melhor opção de transporte é alugar um carro - são muitas locadoras no aeroporto Mc Carran, mas nós encontramos os melhores preços na Dollar e reservamos com antecedência (não há locadora de carros em Tusayan).
de Las Vegas a Grand Canyon
Melhor ainda se puder aproveitar a roadtrip e fazer o caminho sem pressa, parando para visitar a Hoover Dam ou alguma cidadezinha na Rota 66. Embora seja um pouco mais demorado, não é preciso desviar muito da interestadual. Visite Seligman ou Williams - são fofas!
Outras opções de aeroportos são em Phoenix ou Flagstaff - cidade mais próxima, mas sem vôos do Brasil. Há também tours cênicos de avião e helicóptero saindo de Las Vegas e chegando em Tusayan.
De trem, há passeios saindo de Williams e Flagstaff, pela Grand Canyon Railway, assim como há ônibus saindo de Phoenix, Williams ou Flagstaff (info aqui)
Grand Canyon

Onde ficar - onde dormir

É possível se hospedar dentro do parque sem gastar horrores. Há uma empresa que tem autorização para operar no Grand Canyon (Xanterra), e através do site, há opções de lodges como: Maswik, Bright Angel, El Tovar, Thunderbird e Kachina. 
Além destes, há o Yavapai Lodge, no centrinho comercial da vila. As diárias no parque podem variar de 90 (quarto com banheiro compartilhado) a mais de 500 dólares (suites ou chalés com vista para o Canyon). Para saber mais, veja o post com review do nosso hotel e várias informações sobre hospedagem dentro do parque (clique aqui pra conferir). 
Grand Canyon

Há também acampamentos e RV Parking - "estacionamento" para motorhome.
Outra opção é ficar em Tusayan - fora, mas pertinho do Grand Canyon - no entanto, os preços são parecidos aos dos lodges que ficam dentro do parque (veja opções de Tusayan aqui). No caminho, ainda estão Valle (pequenina e sem atrativos) e Williams - uma simpática cidade com ares de velho oeste, bem na Rota 66, a cerca de 90 km do parque (veja opções aqui).
Grand Canyon

Como explorar - Shuttle gratuito

Existem vários tipos de tour guiado, como Jeep Tour. Mas se você chegou até lá e não quer gastar com isso, a maneira mais fácil de explorar o parque é com o shuttle gratuito
Grand Canyon
Na entrada do parque, ou no centro de visitantes, você receberá um mapa com as linhas de ônibus. É bom lembrar que em algumas linhas, como a Hermit's Road, não é permitido circular de carro. A estrada é exclusiva para o shuttleHá 4 linhas diferentes, identificadas pela cor:
Vermelho - Hermit's Rest Road (de março a novembro): faz 9 paradas na ida até o ponto final (Hermit's Rest) e na volta, para em apenas 3 pontos. Não deixe de parar no Abyss e no Mohave Point. No ponto final, há um centro com banheiros, água potável e uma loja simpática com produtos indígenas e souvenirs.

Grand Canyon Grand Canyon
Azul - Village Route
Esta linha passa pela vila - centro comercial e alguns hotéis. Não é uma rota cênica, mas o ônibus para perto de alguns pontos de observação, como o Bright Angel.
Grand Canyon Amarela - Kaibab/Rim Route
Cobre desde o Museu de Geologia Yavapai até o Yaki Point, na Desert View Drive. Se estiver de veículo alugado, acho mais prático fazer este trecho com carro.
Grand Canyon
Tusayan Route

Esta linha leva e traz visitantes do parque de/até Tusayan. Para utilizar este shuttle, é preciso ter comprado o passe do parque. Caso ainda não tenha, pode comprar em hotéis ou no National Geographic Visitor Center de Tusayan.
Com exceção da Tusayan Route, os ônibus passam a cada 15 minutos durante o dia. São confortáveis e têm ar condicionado. Fique atento(a) porque não se pode comer dentro do ônibus - levar comida na mochila não tem problema! 

Se estiver de carro alugado, também poderá seguir pelas rotas e parar em um dos muitos estacionamentos. Mas é bom saber que em alta temporada e horários de pico, pode ser difícil achar uma vaga nos lugares mais centrais como o Mather View.

Grand Canyon passeios de helicóptero a partir do lado Sul e bate-volta de Las Vegas. Não pesquisei muito a respeito, porque não pretendia fazer este passeio. Mas caso interesse, veja este post do blog Rodei e do Aprendiz de Viajante para saber como funciona.
Grand Canyon
Outro jeito bacana de explorar os pontos de observação é de bike. Dá para alugar na vila e passear bastante! Mas no final, eu ainda penso que o melhor jeito de conhecer o cânion é fazendo uma trilha, só que isso exige bastante preparo físico.

Quanto tempo ficar 

Ficamos apenas 24 horas por lá e deu para aproveitar muito bem.  Mas eu fiquei com muita vontade de voltar e explorar os outros lados do parque, como a Horseshoe Bend, na entrada norte, a 216 Km da Grand Canyon Village. O caminho deve ser lindo, porque vai até o final da Desert View Drive, depois pela Rodovia 89, até chegar à entrada norte e poder avistar o Rio Colorado fazendo uma curva em forma de ferradura! 
Grand Canyon
Hermit's Rest Drive
Quem gosta de belezas naturais e paisagens de tirar o fôlego, certamente não vai enjoar de ficar no Grand Canyon. Para quem pretende fazer uma trilha, é bom reservar umas duas noites na região e considerar passar a noite em um acampamento pertinho do Rio Colorado.
Grand Canyon

Para fazer trilhas

Você pode fazer um day hike, ou seja: uma caminhada durante o dia, ou optar por descer até o rio, acampar por lá e subir no dia seguinte. É recomendado pedir permissão com 3 meses de antecedência. Caso não tenha conseguido a permissão pelo site, pode tentar um last minute permit ou permissão de última hora, no BackCountry Office. Se quiser saber mais, há um post especial sobre este assunto - o marido fez uma day hike e contou tudo pra gente! Clique aqui!

Melhores pontos de observação

Para fazer um tour completo pela borda sul, é bacana passar pela Desert View Drive, Hermit's Rest Road, além dos pontos mais centrais próximos ao Village. 
Grand Canyon
Grand Canyon
Rocha em formato de Pato- Desert View Drive
Encontramos pontos lindos na Desert View - e com bem menos pessoas do que no Mather Point. Mas os lugares que mais gostei da vista, foram na Hermit's Road, mais especificamente Abyss e Mohave Point, pois além dos penhascos coloridos do cânion, dava pra ver o Rio Colorado.
Grand Canyon
Hermit's Rest Drive
Grand Canyon
Hermit's Rest Drive

Não deixe de visitar também o Yavapai Geology Museum, pois a vista do Canyon, dentro do museu, é de tirar o fôlego! Veja no mapa abaixo, alguns pontos de interesse destacados (clique para ampliar/navegar pelo mapa):



Como evitar multidões

São quase 5 milhões de visitantes por ano, então dá para imaginar que o parque não é o lugar mais tranquilo do mundo! Mesmo assim, dá para fugir da multidão, ainda que seja alta temporada. Duas regrinhas básicas:
Grand Canyon
Por do Sol no Mather Point
1) vá cedo ou fique até mais tarde: muitas pessoas que fazem um tour bate-volta nem sempre conseguem chegar cedo, e vão embora antes do por do sol. Para quem se hospeda lá, é fácil sair do hotel antes das 8 horas e começar a jornada. 
2) se afaste do centro: quanto mais distantes os pontos, menos gente! Fuja para a Desert View Drive, ou use o shuttle para a Hermit's Road!
Grand Canyon
Hermit's Rest Drive

Vida selvagem

Eu imaginava que no parque só haveria o cânion, o Rio Colorado e um baita deserto em volta. Grande engano!!! Logo que chegamos, fomos surpreendidos por uma floresta de pinus - Ponderosa Pine Forest - onde ficava nosso hotel. No caminho para a Desert View Road, fomos presenteados pela visão de uma família de veados, pastando tranquilamente ao longo da estrada. Pois é... uma desvantagem de começar a viagem por este parque: corre-se o risco de não achar graça em mais nada!

Quando ir - clima no verão e inverno

Apesar de ser em uma região de temperaturas altas no verão, o cânion fica a uma altitude aproximadamente 2100 m acima do nível do mar, ao passo que o Rio Colorado, em sua base, fica a 750 metros. Isto significa que as temperaturas na borda não são muito quentes, mesmo no mês de julho. Vira e mexe, na página do parque, há alertas de temperaturas altas, mas em geral, estes alertas são para as pessoas que vão fazer trilhas até o rio, pois ali as temperaturas são mais altas mesmo. Já no inverno, pode chegar a ter neve e em alguns pontos, há fechamento de estradas, assim como a entrada da parte norte do parque fica fechada. 


Quanto custa?

Para entrar no parque, há uma taxa de 30 dólares por carro (inclui a entrada dos passageiros que estiverem no carro) ou 15 dólares por pessoa, entrando em ônibus, van ou outro meio de transporte. O passe é válido por 7 dias.

Caso vá visitar pelo menos mais dois parques administrados pelo NPS (National Parks Service), vale a pena comprar o America the Beatiful, passe anual para todos os parques dos Estados Unidos, que custa US$ 80,00.


Grand Canyon Village

Há um centrinho comercial bem preparado: Market Plaza Store. Um mercado bem equipado, que vende desde artigos de camping, a comidas e bebidas. O surpreendente é que é bem abastecido até de cervejas artesanais! Aliás, se gosta de cerveja, não deixe de provar a local: Grand Canyon Brewing Company! Na área do mercado há uma lanchonete, mas também é possível comprar sanduíches prontos (preços variando de 5 a 8 dólares). Fora isso, não há opções de alimentação, além dos hotéis que, em geral, contam com restaurantes. 


E a passarela de vidro? 

skywalk - passarela de vidro - não fica no lado sul... Fica no lado oeste, e é a entrada mais próxima a Las Vegas (pouco mais de 2 horas de viagem). Assim, é o lugar mais acessível para conhecer como um bate-volta desta cidade.


Serviços no parque:

Lavanderia e chuveiros: operados por moedas, abre no verão das 6 h às 23 h (horários diferentes no inverno). Próximo ao Mather Campground.
Atendimento médico: há uma clínica - North Country Grand Canyon Clinic. Para emergências, ligue 911.
Acessibilidade: Na Bright Angel Bicycles é possível alugar cadeira de rodas e boa parte da trilha ao longo dos pontos de visitação é acessível.
Posto de Gasolina: fica em Tusayan, a 11 km da entrada do parque

_________________________________________________________
Procurando hospedagem no Grand Canyon ou em qualquer lugar do mundo? Que tal reservar pelo Booking, nosso parceiro? Você não paga nada a mais, e nós ganhamos uma pequena comissão! Veja as opções clicando no banner abaixo:


_________________________________________________________
Bom, é isso! Será que faltou alguma informação? Pergunte!!! Quem sabe podemos ajudar... E continue nos acompanhando! Se gosta de parques nacionais, saiba que depois do Grand Canyon, visitamos o Sequoia National Park, Kings Canyon e Yosemite! Ainda vai ter muito post sobre esta viagem! 
E pra não perder nada, bora seguir o @trilhasecantos no facebook, Instagram e assine também nosso feed

9 comentários

  1. Fui 2 vezes ao Grand Canyon mas tenho vontade de voltar. Meu marido é apaixonado. Estávamos em L.V.e nos hospedamos lá no Grnad Canyon. É fantástico e oferece mil opções trilhas,caminhadas,
    Post completíssimo !!!!!

    ResponderExcluir
  2. Uau, apenas posso dizer isso! Meus pais morrem de vontade de conhecer o GC, fomos para Las Vegas agora em agosto, mas acredita que não deu tempo? Adorei o post, vou até mandar para minha mãe ver!

    ResponderExcluir
  3. Nao conheco ainnnnndaaaa. E vamos combinar que vcs tiveram de presente ainda um dia de clima maravilhoso! Que fotos barbarérrrrrimas! Fiquei com vontade, quando for uso seu post completíssimo e vou pinando. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Liliane, adorei o post! Estamos sonhando com uma viagem que combine o GC, Sequoia e Yosemite também! Em que mês vocês fizeram essa viagem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erika, fomos em julho! Verãozão!!! Rsrs
      Qualquer dúvida, fico à disposição

      Excluir
  5. Que espetáculo de passeio, está na minha wish list, no topo. Quem sabe? Agora depois de ler o post me animei ainda mais. ;-)

    Clau
    @AsPasseadeiras

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post. Este é um sonho antigo! Que vontade de ir dja. Lindas fotos e dicas excelente. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Queremos saber sua opinião! Deixe um comentário!!!

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Topo