Serra Catarinente: Urubici em 2 dias

Viajando pela serra catarinense, constatamos que Urubici é a cidade mais fria do Brasil. Mas não é só isso. A cidade, que já foi distrito de São Joaquim, oferece vários pontos turísticos ao seu redor, que podem ser tranquilamente visitados em dois dias.
Cachoeira do Avencal - um dos principais cartões-postais de Urubici
A cidade não é um destino muito manjado, e fiquei com a impressão que o turismo ainda pode crescer muito por lá. Chegamos de São Joaquim pela manhã e já fomos passear. Contarei na ordem exata em que visitamos as atrações.

Inscrições rupestres

Não são exatamente pinturas, mas inscrições gravadas em relevo em uma rocha, bem pertinho da cidade. As inscrições provavelmente foram feitas há mais de 3.000 anos e a mais significativa delas é a máscara do guardião.
Inscrições rupestres - Máscara do Guardião


Inscrições Rupestres


Inscrições Rupestres

Cascata do Avencal

É possível vê-la de cima, a partir de um mirante com uma vista privilegiada do vale. A entrada para o mirante fica a 5 km do centro da cidade e cobra-se uma taxa de R$ 3,00 por pessoa. 
Mas também é bacana vê-la por baixo. Para isso é preciso fazer uma caminhada numa trilha bem chata (apesar de curta), que tem muitos trechos com pedras escorregadias. Não recomendo para pessoas com dificuldades de mobilidade, pois é preciso subir, descer, se agachar e até levar uns escorregões. A entrada para a trilha fica a 8 km da cidade.
Cachoeira do Avencal - vista do mirante


Trilha para a cachoeira do avencal


Trilha para a Cachoeira do Avencal


Cachoeira do Avencal - vista a partir da trilha

Morro da igreja

É este o local que deu à Urubici a fama de cidade mais fria do Brasil. Na verdade, na área urbana, Urubici é tão ou até menos fria que São Joaquim. Mas no Morro da Igreja já ocorreram recordes de temperatura baixa (a mínima já registrada foi - 17,8° com sensação térmica de - 30°). Por isso, esta região é chamada de "Sibéria Brasileira".
No topo do morro da igreja, há uma base da Aeronáutica


A caminho do Morro da Igreja
A principal atração é a pedra furada, mas toda a vista de cima deste morro é lindíssima. Há uma trilha mais longa para quem deseja chegar até a pedra, mas o início é por outro local.
É importante mencionar que é necessário obter autorização para subir até o morro. Para obtê-la, é preciso ir até o ICMBio, que fica no centro da cidade (tel.: 49 32784994).
Pedra furada, no Morro da Igreja

Pedra furada


Vista a partir do topo do Morro da Igreja

Cascata véu da noiva

De nome super original (rsrs), esta cascata tem a entrada em uma propriedade particular com pousada e restaurante. Aliás, achei o restaurante bonito e aconchegante. Pena que estava longe da hora do almoço. Paga-se uma taxa de R$ 4,00 para visitar a cachoeira.



Cascata Véu da Noiva

Serra do Corvo Branco

A serra liga os municípios de Grão-Pará à Urubici e entre suas curvas sinuosas, afloram as águas do Aquífero Guarani (eu também não sabia o que era, mas meu marido me explicou). Há trechos na serra que estão até perigosos para trafegar. Por isso, muitas pessoas deixam o carro no início do percurso e caminham até um mirante. A vista do alto da serra é linda, como quase todas as paisagens que avistamos na região serrana.
Serra do Corvo Branco: maior corte em rocha no Brasil - 90 m. de altura

Observando a vista


Na descida, quase chegando ao final da serra


Serra do Corvo Branco

Caverna Rio dos Bugres

Essas cavernas já foram antigas moradias de povos indígenas que viviam na região. Não espere muito, pois as escavações são pequenas e não há vestígios de inscrições. Para as crianças acaba sendo interessante, pois na entrada nos oferecem uma lanterna. O Léo, que até então estava entediado, ficou animado ao receber a lanterna para explorar as grutas, e acabou adorando o passeio.
Pronto para explorar as cavernas


Nesta foto veem-se duas entradas para as cavernas.
Ainda há outras atrações que não visitamos, como a Gruta Nossa Senhora de Lourdes, a Cachoeira do Rio dos Bugres, o Morro do Campestre e diversas trilhas. A área urbana em si não é muito atraente, mas a Igreja Matriz é considerada um ponto de interesse.

Restaurantes/Cafés:
Conhecemos o Café Canhambora, o Casarão, além da confeitaria Vó Maris e do Empório da Serra. Em geral, gostamos de todos.
Mas ainda há outras opções que parecem interessantes como o Restaurante Müller e A Taberna.

Hotéis/Pousadas
Reservei uma pousada com antecedência, mas creio que não seja muito difícil conseguir acomodação lá. Encontrei poucas opções na internet. Chegando lá, constatei que havia várias pousadas que pareciam bem arrumadinhas, mas simplesmente não têm um site na web (como pode??). Lá mesmo, vi que há um site com uma associação de pousadas, mas ainda assim, há muitas opções que não aparecem nesta lista.

Clima
Em julho e agosto, as temperaturas podem cair abaixo de zero facilmente. Este foi um motivo que nos levou à serra catarinense, pois é possível até ter sorte de ver neve e cascatas congeladas. Mas não foi desta vez que pegamos frio. A temperatura estava em torno de 9° e 10° à noite e, neste ano, embora o termômetro já tenha atingido temperaturas negativas, ainda não caiu neve...

Espero que você tenha gostado e se anime para visitar estes lugares. Se tiver qualquer dúvida ou sugestão sobre Urubici, comente!!! 
Um abraço e até o próximo post!!

E aí, já curtiu nossa página no facebook??

4 comentários

  1. Adorei o post, Liliane! Inclusive acho que vamos nos hospedar na mesma pousada que vc ficou. Ótimas dicas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cintia, eu espero que vocês gostem também!! Um abraço!!

      Excluir
  2. Olá! As trilhas são bem sinalizadas? Vcs fizeram por conta ou com guia? Tudo muito lindo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Priscila! Fizemos tudo por conta! Achei as trilhas bem sinalizadas, sim!!! Abs

      Excluir

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Topo