Parque Nacional Torres del Paine

Guanacos Torres del Paine
Guanacos sempre estão presentes na paisagem
O Parque Nacional Torres del Paine fica no território chileno e tem uma área de aproximadamente 2.420 km quadrados. Para se ter uma idéia, isso corresponde a três vezes a cidade de Campinas, que ocupa uma área de quase 796 km2.

Veja também outros posts sobre esta nossa viagem à Patagônia

O parque:

O parque é dividido em setores e para não ficar muito cansativo, é legal fazer um ou dois setores por dia. Há inúmeras trilhas para caminhada, a maioria indicada para pessoas com bom preparo físico. 
É possível chegar bem perto das famosas torres que dão nome ao parque. Isto leva praticamente um dia todo, entre ir e voltar. Há também diversos acampamentos e refúgios distribuídos pelo parque. Tudo depende de quanto tempo e disposição tem o viajante. Por exemplo, para se fazer o Circuito W ou grande, são necessários 5 dias de mochila nas costas.

Lupinos Torres del Paine
Os lupinos enfeitando o caminho
Mas é possível explorar boa parte do parque de carro: existem aproximadamente 97 km de estradas para se percorrer dentro do parque. E existem, também, trilhas mais curtas e fáceis para diversos mirantes. A entrada principal do parque fica a 115 quilômetros da cidade de Puerto Natales. Boa parte do trajeto é pavimentada. Nesta época do ano, havia muitos lupinos, uma flor típica da Patagônia, com tons que vão do rosa ao roxo. Parecia uma lavanda gigante...
Lupinos Torres del Paine
Lupinos, que florescem no verão
Torres del Paine
O grupo todo indo para o parque.
Embora parte do trajeto e as estradas dentro do parque não sejam pavimentadas, não é preciso (embora seja desejável...) um veículo com tração 4x4. Nós estávamos com um Corsa Classic Sedan (alugado em El Calafate) que não nos deixou na mão. 
É necessário pagar uma taxa de permanência (na época, 18.000 pesos) para entrar no parque, mas há setores onde se pode entrar de graça. Por exemplo, não pagamos para entrar na Laguna Azul.
No primeiro dia no parque, fomos até o Laguna Azul, pois tínhamos planejado um piquenique. Uma dica para quem quer fazer o mesmo: caso queiram sair cedo para explorar o parque, façam as compras no dia anterior, pois os mercados não abriam muito cedo em Puerto Natales.
Torres del Paine
Uma das estradas para o parque (Foto: Carolina Inglez Duarte)
Torres del Paine
Um dos vários lagos no Parque Torres del Paine (Foto: Carolina Inglez Duarte)
Quando chegamos lá, estava nublado, mas o tempo muda muito rápido (venta demais!!!!!!). De cara já conseguimos ver a base das torres, por trás do lago. Para quem pode ficar vários dias na região, é bacana olhar a previsão do tempo. Não é muito fácil ter a sorte de ver o céu límpido e as torres inteiras. O mais comum é ver parte delas, com algumas nuvens encobrindo-as parcialmente.
Aqui pode se ver parcialmente as torres.
Depois de ficarmos um pouco na Laguna Azul, saímos em direção ao Salto Chico, uma das quedas do Rio Paine. No caminho, algumas paradinhas para fotos, pois tudo é muito lindo neste lugar...
Rio Paine
Cascada Paine, ou Salto Chico (Salto Pequeno)
Tiramos esta foto logo depois: vejam como o céu já está mais limpo!
Depois de pararmos um sem número de vezes para fotografar (ou ficar esperando os outros carros...)  nos dirigimos para o setor Pudeto, uma das áreas mais visitadas do parque. Lá visitamos o Salto Grande  (foto abaixo) o qual acessamos por uma trilha curta. De lá se tem uma bela vista dos “Cuernos Del Paine”
Salto Grande do Rio Paine
A turma toda com alguns "Cuernos" ao fundo
Lugares bonitos assim são muito comuns...
Outra coisa que avistamos muito no parque, foram os guanacos, um parente das lhamas. Eles geralmente estão em número grande e nem se importam com a nossa presença. Assim, dá para fotografar com muita calma.

Sem dúvida, este parque é um lugar para se conhecer na vida. Não importa se você tem 04 ou 74 anos... Continuei contando nossos passeios na Patagônia Chilena aqui e aqui.
Já está nos seguindoFique por dentro de todas as novidades, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMGOOGLE + e TWITTER

Nenhum comentário

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Back to Top