Québec: o que fazer na cidade mais francesa da América

A cidade de Quebec, no Canadá foi a primeira comunidade francesa no continente americano. Os primeiros imigrantes se fixaram às margens do rio São Lourenço para estabelecerem o comércio de peles, pela abundância de animais selvagens que havia na região. Ali, onde hoje se encontra a Basse Ville (Cidade Baixa), os franceses construíram suas primeiras moradias, algumas presentes até hoje. 
Acontece que os invernos rigorosos chegaram a provocar muitas mortes e a vida difícil não atraía muita gente. No entanto, o comércio de peles acabou se mostrando lucrativo e os franceses que ali ficaram deixaram sua marca que persiste até hoje, não apenas na língua oficial da província. Aliás, há quase um consenso que Quebec é uma das cidades da América que mais se assemelha a cidades européias. 


A cidade ainda conserva fortificações e canhões que lembram a época em que foi alvo de disputa entre franceses e ingleses. Na cidade velha (Vieux Quebec) a história também está presente em sua arquitetura preservada, em seu chateau e em inúmeros museus... 


Principais pontos turísticos

O centro histórico é dividido entre cidade alta (Haute Ville), marcada pelas fortificações, e cidade baixa (Basse Ville) margeando o Rio São Lourenço. Para facilitar sua vida, marquei todas as atrações que visitamos na cidade de Quebec, no mapa abaixo:
Mapa com as principais atrações (Fonte: Google Maps)
 Vamos conferir as principais atrações de Quebec? 

Haute ville - Cidade Alta

Nos hospedamos na cidade alta e ficou muito fácil percorrer as principais atrações à pé. A Rua Saint Jean é a mais badalada. Uma parte da rua é bem turística, reservada apenas a pedestres, com restaurantes e várias lojas de souvenirs. Sua extensão, fora da cidade fortificada, tem mercados menos turísticos e uma antiga igreja que foi "convertida" (este termo ficou quase irônico, né?) em biblioteca. No mesmo quarteirão da biblioteca, fica a Epicerie J.A. Moisan, um empório com produtos, em sua maioria, franceses. Embora os preços não sejam muito convidativos, a loja merece uma visita. Os proprietários também têm um Bed and Breakfast bem charmoso.

Mas o principal cartão postal de Quebec ainda é o "castelo" que se destaca na paisagem. O Chateau Frontenac, na verdade é e sempre foi um hotel, desde que foi inaugurado em 1893.  A rede Fairmont construiu hotéis de luxo em várias regiões do Canadá e na lista também se destacam os hotéis de Banff e Lake Louise, em Alberta. 
Chateau Frontenac, dominando a paisagem
Para ter uma ótima vista do chateau, vá ao Terrasse Dufferin, nome que homenageia Lord Dufferin, aristocrata irlandês que governou Quebec em 1872, algumas décadas após a vitória britânica pelo domínio da cidade. É deste irlandês o mérito de restaurar as muralhas que já estavam sendo demolidas ou vandalizadas no século XIX.

Também é na cidade alta que fica a Citadelle, uma construção fortificada que abriga um museu e conta um pouco da história militar da velha colônia. Por toda parte, o mote do Quebec "Je me souviens" (algo como "eu me lembro") está presente.

Outro ponto a ser conhecido, na parte alta, já saindo dos muros da Vieux Quebec, é a Avenida Grand Allé. Bem pertinho do Parlamento, há inúmeros restaurantes com mesas nas largas calçadas. Um lugar muito agradável para um almoço, jantar, ou apenas um drink ou café ao final da tarde.


Cidade Baixa - Basse Ville

Se Quebec esbanja charme, a cidade baixa é a melhor amostra disso. Este charme não se deve a nenhuma construção em particular mas pelo conjunto arquitetônico como um todo: residências, lojinhas, ruas de pedestres, pinturas, restaurantes nos convidando a comer ao ar livre no verão...
Conjunto de casas na Basse Ville, vistas da cidade alta. Ao fundo, Rio São Lourenço

Cenários da cidade baixa 
Uma das principais ruas de comércio na cidade baixa, a Quartier du Petit Champlain, talvez seja o pedaço mais charmoso de Quebec. Um bom trajeto é começar descendo as escadas a partir da cidade alta e chegar até às margens do São Lourenço.
Quartier Petit Champlain 


Outro lugar que não pode ficar sem uma visita é a Place Royale, com a Igreja Notre-Dame des Victoires. As construções são tão lindas e bem conservadas que é fácil imaginar como era a vida por lá no passado.
 Place Royale, com destaque para a igreja Notre-Dame-des-Victoires
Mas também vale vagar sem pressa pelas ruas, procurando estas pinturas tão interessantes, retratadas nas imagens abaixo:
Pintura tridimensional - e eu lá no meio...

Além destes pontos turísticos na cidade antiga, conhecemos também:


Mercado do Antigo Porto:


Em um domingo, fomos conhecer o Marché du Vieux Port. Além de comermos frutas orgânicas vindas da Ilha de Orleans, compramos alguns produtos regionais (pão, queijo e foie-gras), uma massa e um vinho, e pudemos almoçar em nosso apartamento quebecoise, que alugamos por 4 noites. Mesmo tendo que lavar a louça depois, foi uma refeição inesquecível que nos custou bem menos do que gastaríamos em um restaurante.


Ferry Quebec-Levis


Já pensou em pegar uma balsa, com a intenção de não descer dela? Pois foi exatamente a nossa ideia, ao pegar o Ferry Quebec - Levis (esta cidade fica na outra margem do São Lourenço). Tínhamos lido que a travessia do rio propiciava uma vista incrível de Quebec, o que pudemos confirmar. Para variar, a construção que mais se destaca na paisagem é o Frontenac. 


Quedas de Montmorency

Fora dos limites da cidade, na região chamada de Côte-de-Beaupré, o parque das quedas de Montmorency é acessível por ônibus circular. No parque, além da cachoeira, há playground e área de piquenique.
No local, há também o Manoir-Montmorency, local que funciona como restaurante e como local para eventos.

Outra ideia de passeio para quem quer sair da cidade é alugar um carro e percorrer o Caminho do Rei passeando pelas cidadezinhas mais lindas da província de Quebec! Se não der para alugar carro, tente pelo menos dar uma esticada até Cap. Santé, a pouco mais de 50 km de Quebec City! A cidade é tão graciosa, que nem parece de verdade!


Quando ir:

No verão, em geral o clima é ameno. A temperatura fica em torno de 25º, mas pode subir perto dos 30º ou baixar (raramente) para os 15º. Além disso, em julho há o Festival de Verão, com inúmeros shows, apresentações de teatro, etc. No inverno, como em todo o Canadá, neva bastante, o que torna a cidade ainda mais romântica. Mas a temperatura pode baixar muuuito (até - 17º), assim o ideal é viajar no verão ou na primavera. No final de março, ainda há bastante neve no chão e são realizadas as tradicionais festas dedicadas ao Maple Syroup (ficamos com muita vontade de voltar pra lá nesta época!).

Onde se hospedar: 

Alugamos um apartamento por quatro noites e adoramos a experiência! Gosto muito da ideia de aluguel de temporada, pois dá a sensação de "morar" no lugar, ainda que por pouquíssimo tempo. O apartamento era super confortável e muito bem localizado na cidade alta, com fácil acesso a muitos pontos de interesse e próximo a mercadinhos. Havia uma pequena lavanderia que poderia ser usada pelos hospedes (com apenas algumas moedas...), o que nos foi super conveniente! Se quiser, pode verificar aqui as tarifas e mais informações. Mas há muitas outras opções de hospedagem, incluindo hostels, Bed and Breakfasts e até hotéis luxuosos!

Como chegar:

O Aeroporto Jean Lesage fica a 15 km do centro histórico. Não há voos diretos do Brasil - em geral, há escalas/conexões em Toronto ou nos Estados Unidos. 
Nós chegamos de trem, a partir de Montreal e saímos de avião rumo a Calgary. Mas se vier de Montreal (ou for pra lá) de carro, poderá fazer algumas paradas pelas cidadezinhas do Caminho do Rei.

Enfim, são estas minhas dicas de Quebec, uma cidade inesquecível! Se tiver alguma sugestão ou dúvida sobre a cidade, deixe um comentário agora mesmo!!!


Procurando hotel em Quebec? Faça sua reserva pelo Booking através de nosso blog. Você paga o mesmo preço e nós ganhamos uma pequena comissão, através do programa de afiliados! Que tal?

Já curtiu nossa página no facebook? Segue nosso instagram? Passe lá!!!!

8 comentários

  1. Respostas
    1. Eu é que agradeço a visita! Qualquer dúvida, pode perguntar! Abraço!!!!

      Excluir
  2. Esse mapinha ficou show de bola! tudo que eu procurava! Adoreii

    ResponderExcluir
  3. Liliane, quantos dias você recomenda ficar em Quebec?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, Nós ficamos 4 noites, mas em um dos dias fizemos um passeio pelo Caminho do Rei. Eu recomendaria, pelo menos 3 dias! Dê uma olhada no nosso roteiro completo: http://www.trilhasecantos.com.br/2015/04/canada-um-roteiro-de-15-dias.html

      Excluir

Queremos saber sua opinião! Deixe um comentário!!!

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Topo