Igatu, Bahia: um passeio pela Machu Picchu brasileira

Localizado na Parque Nacional da Chapada Diamantina, o distrito de Igatu (município de Andaraí) foi apelidado de Machu Picchu brasileira, por causa das ruínas de construções feitas com as abundantes pedras na região.                     bahia
Igatu teve dias prósperos por causa da mineração de diamantes. O distrito que hoje tem menos de 400 habitantes, já chegou a ter 9000! Mas o declínio das minas provocou um abandono de um de seus principais bairros - o Luíz dos Santos - que hoje se encontra em ruínas. 
Igatu, Bahia

Um passeio por esta vila cheia de charme nos leva de volta no tempo. Aliás, em pouco tempo você irá conhecer todas as atrações de Igatu. Mesmo assim, a visita vale a pena! 

Mina Brejo-Verruga 
Um passeio por Igatu não é completo se não incluir uma ida à mina Brejo-Verruga. Lá, fizemos uma visita guiada e ficamos sabendo que a sobrevida dos mineradores era bem curta, devido ao uso de óleo de mamona nas lamparinas. Como o óleo é bem tóxico, em geral eles viviam apenas uns 5 anos depois de começaram a trabalhar na mina. 
Dentro da caverna (que foi escavada) foram feitas algumas esculturas representando as dezenas mineiros que trabalharam lá. 
Igatu, BahiaNo auge da extração,  tiravam uma garrafa cheia de pedras por dia, mas a grande maioria ficava com o dono da mina.
Igatu, Bahia
No caminho da mina conversamos com uma família de São Paulo - pai, mãe e 2 crianças - que estavam indo embora. Segundo a mãe, as crianças estavam emburradas porque queriam ficar mais. Eles nos contaram que a experiência deles em Igatu foi incrível - as crianças iam sozinhas ao mercado buscar doce e sorvete - coisas inimagináveis em SP, mas corriqueiras em um lugar como uma cidadezinha no sertão da Bahia.

Nós,  que escolhemos nos hospedar em Lençóis por causa da estrutura da cidade,  ficamos pensando seriamente em ficar em 
Igatu uma próxima vez, ou pelo menos em Mucugê que é mais perto.



Ruínas - bairro Luiz dos Santos
O bairro de Luíz dos Santos foi um dos mais movimentados!  Eram bastante animadas as "reisadas" (folia de Reis) e as festas de Carnaval. No bairro há uma galeria de arte e o Museu vivo do garimpo onde são expostos objetos que faziam parte da vida dos garimpeiros e também da época da escravidão.

Ao lado da galeria, há uma casa também construída em pedra. A casa é linda e enquanto eu a admirava, notei uma sacada e fiquei pensando que ali se tem uma vista incrível! Ah, como a Chapada sabe ser linda!!!

Passeando pelas ruínas eu só ouvia o barulhinho da água que brotava e os cantos dos pássaros. Mas andar por estes caminhos irregulares na pedra não é tarefa mole... Eu mesma levei um baita escorregão!  Capriche nos tenis e guarde as havaianas para a praia!



Para percorrer este bairro é fácil: vindo do centro, é só passar em frente a igreja e seguir reto (se estiver de carro, estacione por ali).  
 
Alguém nos explicou bem errado e nós seguimos o caminho ao lado direito da igreja, passando atrás do cemitério. 
Não foi perdido, porque ali também havia casinhas charmosas em pedra. Pena que subir e descer em terreno de pedra, ainda mais com criança,  é meio tenso... rsrs

Mas, se nós pelejamos para andar na pedra, há quem ame subir por elas! Igatu tem se consagrado como um destino de escalada e já é sede de festivais desta atividade!
Para fazer no mesmo dia:
se quiser aproveitar bem o dia, pode dar uma esticada até Mucugê, visitando seu famoso cemitério bizantino, ou ainda, se banhar em alguma cachoeira da região.

A caminho de Lençóis, fica o Poço Azul, uma das principais atrações da Chapada, ou ainda o Marimbus, conhecido como Pantanal da chapada, por ser uma área alagada. É perfeitamente possível conciliar Igatu com um desses passeios. Mas nós fomos pegos pela chuva no caminho de volta...

Como chegar:
Para chegar em Igatu, é preciso passar por uma estrada de calçamento de pedra, a partir da BA-142 (pavimentada). Chacoalha bastante, viu? Mas não precisa de carro 4x4...
Distâncias: 
Mucugê: 22,5 km 
Andaraí: 14,2 km
Lençóis: 112 km

Poço Azul: 60 km

Se estiver procurando hospedagem na Chapada Diamantina ou em qualquer outro lugar, reserve pelo Booking, nosso parceiro! É só clicar no banner abaixo:


Vale a pena incluir Igatu em um roteiro pela Chapada Diamantina! Já conhece? Quer conhecer e tem alguma dúvida? Não espere! Comente já!

Veja também outros posts sobre a Bahia! Clique aqui e aqui!
Já está nos seguindo? Fique por dentro de todas as postagens, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMGOOGLE + e TWITTERAssine também nosso FEED! Assim, você não perde nenhuma novidade!

7 comentários

  1. Amei a matéria, não conhecia Igatu e agora fiquei com bastante vontade de visitá-la.

    ResponderExcluir
  2. Ando pesquisando sobre a Chapada Diamantina, mas nunca prestei a atenção em Igatu.
    Vou deixar salvo aqui, para não esquecer de incluir o local no nosso roteiro, quando a viagem se concretizar.

    beijos,

    Fran @ViagensqueSonhamos

    ResponderExcluir
  3. Olha que dica maravilhosa!!! Descobri essa semana que a minha casa na Bahia fica a 5 horas de carro da Chapada .... estou aqui tentando convencer o marido a passar uns dias por lá quem sabe não visitaremos as cidades charmosas que você nos apresentou!!!
    Obrigada :)
    beijocas
    Li

    ResponderExcluir
  4. Que cidadezinha incrível ! Rende um bom roteiro turístico. Meu caçula está planejando Chapada Diamantina agora em junho. Vou passar para ele.

    ResponderExcluir
  5. Essa cidade me lembrou muito São Thomé das Letras, em MG! Eu adorei conhecer, super rústica e tenho certeza que adoraria conhecer Igatu!

    ResponderExcluir
  6. Mais um lugar que eu NUNCA ouvi falar, que vergonha gente, não conheço nada do nordeste brasileiro e sou casada com um nordestino! :/ Dá tempo pra reverter? Beijos (bem do jeito que eu gosto, pueblitos!)

    ResponderExcluir
  7. Menina! Nunca tinha ouvido falar nesse lugar. Parece muito interessante. Abraço e obrigada pelas dicas.

    ResponderExcluir

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Back to Top