Icefields Parkway, nas rochosas canadenses

Peyto Lake
A Icefields Parkway foi uma das rotas mais lindas que já conhecemos. Como o próprio nome anuncia, é uma "estrada parque", portanto tem um baixo limite de velocidade: não se podem ultrapassar os 90 km por hora. Na verdade, dá vontade de dirigir até mais devagar, pois não há um ponto da estrada que não seja, no mínimo, bonito ou interessante. 
A nossa jornada se estendeu por 290 km desde Banff até Jasper, os dois melhores destinos das Rochosas Canadenses. 
Fizemos o trajeto com calma, parando para visitar os principais pontos interesse e enquanto íamos percorrendo aquele caminho lindo, cruzávamos com grupos de motociclistas (era sábado, e os locais também aproveitam para passear), outros carros e motor homes.

Se avistávamos um lugar mais bonito que o normal, parávamos para fotografar e, certeza, se víssemos vários carros enfileirados no acostamento, parávamos também, pois poderia ser sinal de bear jam! É assim que eles chamam, quando alguém vê um urso, para para fotografar, e outros vão parando em seguida, causando uma espécie de congestionamento.
Nosso percurso: no mapa abaixo, os pontos em destaque foram os que paramos para conhecer ao longo do caminho.
Montanhas Rochosas
Mapa com as principais atrações - trajeto que fizemos, começando por Banff

1) Lake Louise

Já havíamos conhecido Lake Louise, em outro dia de viagem, passando pela Bow Valley Parkway, na tentativa de ver animais selvagens. Foi um dos lugares mais cheios e caros que visitamos nas Rochosas, mas além do lago, há outras atrações como trilhas que, dizem, oferecem uma vista espetacular do lago.
Lake Louise
Neste dia, passamos meio batido por Lake Louise e fizemos o primeiro pit-stop no Lago Hector. Mas foi jogo rápido, apenas para algumas fotos. 
Hector Lake
Hector Lake

2) Peyto Lake

Este lago disputa o posto de meu favorito com o Moraine e, definitivamente, é um dos lugares mais lindos da região. O lago ganhou este nome em homenagem a Bill Peyto, pioneiro e herói regional. Bill, um imigrante inglês, foi guarda florestal (um dos primeiros no parque nacional) e guia de montanha. Tinha comportamentos excêntricos, como levar seu lince de estimação aos bares de Banff!!
A geleira (Peyto Glacier) que alimenta o lago, como tantas outras, tem diminuído de tamanho. A diferença, em pouco mais de um século, pode ser vista nas imagens a seguir:
Geleira, no século XIX. A foto abaixo é do mesmo local, mas note como a geleira diminuiu
Onde havia uma geleira, apenas um riacho com água de degelo
Na trilha para o Peyto Lake, parada para uma explicação sobre estes
blocos de "neve", em pleno verão
Desenho de uma trilha (Bow Summit) que pode ser percorrida ao redor do lago
Nós percorremos apenas uma pequena trilha pavimentada que conduz ao mirante do lago. É fácil para se utilizar carrinho de bebê e acessível a cadeirantes. Mas também existe uma outra trilha mais longa, chamada Bow Summit.

3) Saskatchewan Crossing

Depois de visitar o Peyto Lake, nossa próxima parada foi em um posto em Saskatchewan River Crossing, almoçando um sanduíche de bisão. Ali tem uma ótima estrutura de serviços, como posto de gasolina, restaurante e lanchonete. O lugar ganhou este nome por ter sido um ponto de travessia do Rio Saskatchewan, por comerciantes de pele, no século XIX.

4) Athabasca Glacier

Esta foi nossa parada mais longa do trajeto. O passeio pela geleira Athabasca dura cerca de 80 minutos e não custa muito barato (cerca de 55 dólares canadenses), mas vale a pena!
Glacier Bus - ônibus do gelo
O trajeto é feito nestes ônibus de rodas enormes, adaptadas a trafegar sobre o gelo. Os poucos ônibus da Brewster são exclusivos (nenhum é exatamente igual a outro) e eles são fabricados na cidade de Calgary (Alberta). 
Eu e Léo na geleira


Um dos primeiros "ônibus do gelo" já fabricados
Glacier Bus, sobre a geleira
Mas corra visitar!!! No passeio, o guia nos explicou que se o aquecimento global continuar nesta velocidade, em pouco mais de 80 anos, a geleira deixará de existir. Eu estava há pouco explicando para o Léo que provavelmente o bisneto dele não poderá conhecer este lugar... Mais detalhes do passeio, se encontram na página da Brewster.

5) Athabasca Falls

Nossa última parada antes de chegar a Jasper, foi nas quedas do rio Athabasca. O lugar é muito bonito e vale a parada. A principal curiosidade, são os "caminhos abandonados" pelo rio. Em alguns trechos, podemos caminhar por cânions, por onde antes corria água.
Uma das quedas do Rio Athabasca
Rio Athabasca

Angel Glacier

Outro lugar que visitamos pertinho da Icefields, desta vez no caminho de volta, foi Angel Glacier, mais uma geleira que tem sofrido com o aquecimento global. Há uma trilha curta que conduz à geleira, com placas que explicam sobre as alterações que têm ocorrido no local, devido a mudanças climáticas.
Angel Glacier

Por onde começar a jornada pela Icefields Parkway?

Há várias opções que dependem muito de quais lugares você pretende conhecer no Canadá. Nós voamos de Quebec a Calgary e alugamos um carro. No retorno, pegamos o avião de volta para o Brasil em Calgary. Em Edmonton também há aeroporto. E ainda, há muitas pessoas que fazem o caminho de carro de Vancouver até Jasper, e de lá tocam para Banff
Sempre lindas paisagens ao longo da estrada

Em quanto tempo podemos percorrer a estrada?

Nós saímos de Banff pela manhã e chegamos a Jasper ao final da tarde. Mas, sem dúvida, a estrada tem muito mais a oferecer! Há quem prefira percorrê-la em mais tempo, hospedando-se ao longo do caminho. Também é possível fazer de motor home (vimos uns liiiiindos de uma empresa chamada Canadream). Deixamos de visitar vários pontos, mas você pode programar sua viagem por este site aqui. Esta página é interativa e mostra as atrações por trechos.
Icefields Parkway

Algumas dicas/curiosidades:

Bear Jam: sinal de urso no pedaço!
Bear Jam: os funcionários dos parques nacionais dão orientações expressas para que os turistas não causem "congestionamentos" por causa dos ursos. Eles argumentam que isto pode estressá-los e colocá-los em perigo. Mas é muito difícil evitar um bear jam, já que a maioria das pessoas que visita as rochosas, está morrendo de vontade de ver um urso! 

Tudo para proteger estes animais fofos (ou nem tão fofos assim)
- Em alguns pontos, a rodovia é cercada para evitar atropelamentos. Mas isto pode impedir a migração dos animais. Assim, foram criados "viadutos" para animais selvagens! A ideia é fantástica: os animais podem migrar, sem correr o risco de serem atropelados. Nos viadutos foi reproduzida a flora local para que os animais percebessem como se fosse uma extensão da floresta. Esperava-se que os ursos demorassem vários anos para "confiar" nestes viadutos, mas relatos recentes mostraram que os ursos já estão usando!!

Inverno: é possível que a estrada fique fechada ou más condições de tráfego de novembro a abril. Na A-93 não há manutenção constante quanto à neve, como em outras vias mais importantes. Isto pode ser particularmente perigoso para pessoas que não estão acostumadas e não têm veículos preparados para dirigir na neve. Outra questão é a cobertura de celular, que não é boa na Icefields Parkway. Além disso, pode faltar até combustível nos poucos postos que existem ao longo da via. Encontre estas informações aqui. Outro ponto importante: O passeio sobre a geleira Athabasca não ocorre durante o inverno, recomeçando em abril!
Icefields, logo depois da Geleira Athabasca
Sem dúvida, este dia que passamos pela Icefields, foi um dos mais saudosos! E você, conhece esta estrada e tem alguma dica? Ou planeja visitar e tem alguma dúvida? Não espere, deixe um comentário já!


* Se estiver procurando hospedagem no Canadá ou em qualquer outro lugar, reserve pelo Booking, nosso parceiro! É só clicar no banner abaixo:


Já está nos seguindoFique por dentro de todas as postagens, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMGOOGLE + e TWITTERAssine também nosso FEED! Assim, você não perde nenhuma novidade!

13 comentários

  1. Simplesmente Fantástica essa viagem ! Não conhecemos ainda o Canadá mas temos muita vontade de ir.Excelente post,bjs

    ResponderExcluir
  2. Impressionada com as fotos! Que coisa mais linda, a cor do lago é perfeita!!! É uma viagem que nunca me interessou muito, até uns meses atrás... na verdade não era falta de interesse, era falta de conhecimento mesmo. Eu não imaginava que o Canadá era tão lindo! Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guaciara, por mais que as fotos impressionem, ao vivo é muito mais lindo! É inacreditável!

      Excluir
  3. Gente que sonho!!!! Amei cada detalhe, cada foto, cada tudo!
    Beijocas
    Li

    ResponderExcluir
  4. Que fotos! Que lugar incrível! Quero muito conhecer o Canadá mas pensava se seria um destino legal com criança e seu post me respondeu. Estou fascinada com as paisagens das suas fotos.
    Mas fiquei curiosa mesmo para saber se o Léo entendeu o que é um bisneto kkkkk. Brincadeirinha. É que estou em uma fase de explicar ao Luiz Felipe que a vó dele é minha mãe e isto dá pano prá manga aqui...
    Linda viagem, adorei.
    Tati

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tati, na época ele não entendeu muito bem, mas agora entende! Até uns 5, 6 anos, eles são muito egocêntricos: vêem as coisas na perspectiva deles! Eu acho um barato, viu? beijos!!

      Excluir
  5. Nossa! Ameeeeeei esse lugar, que paisagem - que fotos! Inesquecível, com certeza! Anotei na minha whish list! <3 E gente, Bear jam, kkk, achei o máximo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu achei bem engraçada esta história de Bear Jam também! Aliás, sabia que eu causei um? rsrsrs

      Excluir
  6. E ai tudo bem , gostaria de informações sobre hoteis nesta região .

    ResponderExcluir
  7. Olá!! Liliane, em que mês você fez essa viagem?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Flávia, fizemos em julho/2011!! O verão é uma ótima época!

      Excluir

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Topo