Canal da Última Esperança

Na nossa viagem à Patagônia, este é um dos passeios que fizemos no Chile, do qual me lembro com mais saudosismo. Eu poderia dizer que foi por estar no mar e ter visto golfinhos, pelas geleiras, pelas imagens deslumbrantes que avistamos e tudo o mais. Mas confesso que foi pela refeição com "Cordero Patagônico" que almoçamos na Estância Perales. Não que o prato tivesse nada de especial "gastronomicamente" falando. Mas sabe quando se consegue conciliar uma boa comida a um lugar incrível?
Navegando pelo Canal da Última Esperança
Quanto ao passeio de barco foi muito agradável. Embora seja no mar, é calmo, pois é um canal e não se navega em “mar aberto”, então nenhuma ocorrência de enjôo. 
Canal da Última Esperança e suas águas tranquilas


O Canal da Última Esperança se localiza no Parque Nacional Bernardo O'Higgins e seu nome tem a ver com as navegações de Fernão de Magalhães, que conseguiu encontrar uma passagem entre os oceanos Atlântico e Pacífico, em 1520. Em 1557 o navegador Juan Ladrillero considerou o canal como a última esperança de se encontrar o estreito de Magalhães navegando-se a partir do Chile. Pois bem... 455 anos depois, lá estávamos nós!! 
No caminho, é possível avistar leões marinhos, mas eles não nos agraciaram com sua presença. O que pudemos ver foram as colônias de Cormoranes, pássaros típicos da região que, à época, estavam se reproduzindo. Dando um "zoom" nesta colônia, pudemos ver muitos ninhos espalhados.
Colônia de Cormoranes
O barco faz sua primeira parada no Glaciar Serrano. Uma trilha bem curta conduz para perto da geleira, para que possamos tirar fotos. Por mais que tivéssemos achado a geleira grande, pudemos verificar depois que não é das maiores no Chile. Aliás, a maior geleira do Chile é o Glaciar Pio XI (este é maior até que o Perito Moreno, na Argentina). O Pio XI ainda não é muito explorado turisticamente e só tomamos conhecimento dele por causa de um livro de fotos que compramos em Puerto Natales. 
Glaciar Serrano
Léo no Glaciar Serrano

Trilha para o "Glaciar" Serrano e pequenos icebergs
Glaciar Serrano

Estância Perales

Uma autêntica estância patagônica, onde almoçamos “cordero patagônico”, um carneiro preparado no típico "Asador Criollo", uma espécie de "churrasco de chão". Também havia frango, batatas e uma boa taça de vinho, além de doces caseiros de sobremesa. A maior parte do que é servido na refeição é produzida na própria estância, incluindo-se o carneiro que é criado lá. 
Após o almoço, andamos um pouco em volta do restaurante, para conhecer um pouquinho mais da estância.
Chegando à Estância Perales

O pessoal da estância tem um "quintal" de dar inveja

Ao fundo, nosso barco atracado
Entrada da Estância Perales
Vale dizer que a Estância também comporta uma pousada que é muito indicada para quem gosta de pescar!
Estância Perales

Estância Perales
Pássaro, na Estância Perales
Cidadezinha de Puerto Bories, ponto de partida e chegada do barco
Fizemos o passeio com a agência 21 de mayo, que também administra a Estância, e o almoço está incluído no preço. Há também outras agências e outras opções, incluindo passeios em modernos catamarãs. Mas é válido informar se param para conhecer algum estância, pois é uma experiência muito legal.
Já está nos seguindoFique por dentro de todas as novidades, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMGOOGLE + e TWITTER

2 comentários

  1. Uau, Lili!!
    Que muito muito lindo!
    Com que tipo de barco é o passeio? Quanto custa? (se quiser falar)

    Patagônia em seus estertores, hein?hahaha
    Ainda bem pra quem já foi rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! O passeio era em um barco menor que um catamarã. Você pode vê-lo na penúltima foto. Não me lembro quanto custava o passeio. Entrei até no site da agência, mas eles não divulgam...
      Infelizmente as geleiras da Patagônia (em sua grande maioria) estão derretendo mesmo! Temos que voltar lá em breve!!

      Excluir

Trilhas e Cantos. Tecnologia do Blogger.
Back to Top