Budapeste em 3 dias: atrações, roteiro e dicas

19 de agosto de 2018


Budapeste, a capital da Hungria, irá te surpreender, mesmo que suas expectativas sejam altas. Não vão faltar atrações  para colocar no seu roteiro! Com lindos edifícios como o Parlamento, uma grande variedade de museus, banhos termais e as vistas impressionantes ao longo do Rio Danúbio, vai ser fácil você cair de amores por Budapeste e escolhê-la como uma das capitais mais lindas da Europa.
Neste post, vou contar um pouco sobre os principais pontos turísticos de Budapeste, dicas para aproveitar o melhor da cidade e nosso roteiro de 3 dias. Prontos(as) pra passear com a gente?



Budapeste, a linda capital da Hungria

Budapeste é cortada pelo Rio Danúbio e surgiu da unificação das pequenas Buda, Peste e Óbuda no ano de 1873. A unificação trouxe um grande desenvolvimento à cidade e durante o século XIX até antes da primeira grande guerra, Budapeste viveu uma época de ouro, com a construção de parques urbanos e alguns de seus pontos icônicos como o Museu Nacional da Hungria e a Ponte das Correntes. Durante a segunda guerra, a cidade viveu o horror do nazismo e depois, a ocupação soviética no período comunista. Budapeste tem uma história e cultura riquíssimas e, sem dúvida, é um dos melhores destinos no leste europeu!!!


O que fazer - Atrações em Buda

Se estiver hospedado em Peste, comece atravessando a Ponte das Correntes, bem em frente ao Parlamento. Logo após atravessá-la, irá encontrar o funicular (cerca de R$ 16,00) ou o Castle Bus, que faz a rota turística próxima ao castelo. Uma outra opção é chegar até a Disz Tér (em frente a uma confeitaria) pelo ônibus da linha 16


Ao subir a colina, um bom começo é explorar o Castelo de Buda, epicentro turístico deste lado da cidade - um complexo com museus, praças, monumentos e vários mirantes para observar Peste.


Há dois museus bem próximos - Galeria Nacional (quando estávamos em Budapeste, havia uma exposição de Frida Kahlo) e o Museu de História de Budapeste. Este último, conta a história da cidade, desde escavações romanas, até a reprodução de uma sala de estar dos anos 70, ou ainda objetos do período comunista.



Para chegar até lá, irá passar pela Mathias Fountain, um monumento em homenagem ao Rei Mathias, em uma cena de caça.




Após visitarmos este museu, almoçamos na Korona Kavehaz,  Achei um pouco caro e turístico, mas a esta altura estávamos morrendo de fome e calor! Se caminhar um pouco mais em direção à Rua Disz, vai encontrar outras opções melhores.

Um bom jeito de continuar o roteiro é seguir para a Igreja de São Mathias, com seu teto decorado em cerâmica Majolica, uma arte típica da Hungria e presente também em outros edifícios de Budapeste.



Atrás à igreja fica o famoso Bastião dos Pescadores, monumento às margens do Rio Danúbio, que homenageia as 7 tribos que fundaram a Hungria. Neste lugar tem uma ótima vista do Parlamento, que fica do lado oposto do rio.




No caminho entre o castelo e a Igreja de São Mathias, passe pela Rua Disz e repare nas casas: muitas delas têm uma plaquinha com a data de construção. Neste pedacinho de Buda, você encontrará uma concentração menor de turistas e pode ser muito agradável passear pelas ruas e vielas, sem grandes compromissos.



Visite também a Torre de Buda: parte remanescente de uma igreja que foi praticamente toda demolida. Suba cerca de 170 degraus e desfrute de uma bela vista!






Mapa com atrações em Buda - clique para navegar



Ainda em Buda, se tiver tempo e pique, siga para a região da Citadela, onde fica a escultura "Estátua de Liberdade" do início da ocupação comunista, popularizada entre os húngaros como o "abridor de garrafas". As demais esculturas desse período, que exaltavam os líderes comunistas como Stalin, foram retiradas da cidade e estão no Museu Memento Park.

Outros pontos de interesse em Buda são o Varkert Bazar, próximo ao castelo, e o Hospital Rock, um bunker construído na segunda guerra.

Termas de Lukács
Em Buda, ainda aproveitamos as águas termais dos banhos de Lukács. São várias piscinas, cobertas e ao ar livre, com temperaturas variando de 22 a 40 graus. Um lugar perfeito para relaxar depois de um dia de passeio!

Atrações em Peste

Em Peste, podemos dividir as principais atrações em áreas: próximo ao Parlamento (Lipotváros), no Distrito Judeu (Bélvaros) e na Avenida Andrassy (Terésvaroz).

Lipotváros - da Rua Vaci ao Parlamento

Nós fizemos um walking tour muito bacana, passando por alguns pontos como: Igreja da Assunção, a mais antiga de Budapeste; o Vigadó, um teatro onde acontecem concertos de música clássica e o "Danube Promenade" - o caminho ao longo do rio foi considerado patrimônio da humanidade, pela Unesco.


Vigadó 

O tour continua para a Praça Vörösmarty, onde funciona o Mercado de Natal, um dos mais famosos da Europa. Nesta praça também fica o café Gerbeaud, onde foi criado o famoso bolo gerbeaud, que você poderá apreciar em vários cafés e confeitarias de Budapeste.

Depois seguimos para a Basílica de Santo Estevão (St Stephen) que homenageia o primeiro rei da Hungria. Na igreja, é possível visitar uma relíquia - a mão mumificada do santo, que já tem 1000 anos. Para visitar a igreja, é preciso fazer uma doação a partir de 200 florins e para subir à cúpula, o valor é de 600 florins, com direito a elevador!



Durante o walking tour, não entramos nas atrações, por isso voltei mais tarde para visitar o interior da igreja e apreciar Budapeste vista de cima.




Mais adiante, paramos na Liberty Square, um lugar com várias referências históricas importantes e que causam sentimentos bastante controversos: o Soviet War Memorial - em memória aos soldados russos mortos na guerra. Junto à estátua da liberdade (na Citadela) é um dos poucos monumentos remanescentes do período comunista.


O Soviet War Memorial

Outro monumento que gerou reações negativas é a escultura de uma águia (representando o nazismo) e um anjo. O monumento homenageia as dezenas de milhares de judeus mortos (isso apenas em Budapeste) durante a segunda guerra.



No entanto, houve todo um movimento popular contra a escultura, pois o mesmo tende a distorcer a história, já que a Hungria ficou ao lado da Alemanha na guerra e não pode se inocentar das mortes dos judeus. Assim, há um outro monumento em frente: objetos e fotos de judeus vítimas do nazismo.



É também nesta praça que fica a estátua de Ronald Reagan, considerado por ter um papel importante no fim da guerra fria, e na consequente democratização dos países do leste europeu.

Se passar pela Liberty Square perto da hora do almoço, acho bacana fazer uma parada no Downtown Market, um mercado menos famoso e por isso menos lotado que o Great Market Hall.

Dali, o tour segue para o Parlamento de Budapeste, um dos prédios mais lindos da cidade. Há quem diga que é o parlamento mais bonito da Europa! Dos que já conheci, não vou discordar. Ele foi construído em entre 1884 e 1902 para celebrar o milênio.



Entre a Liberty Square e o parlamento, ouvimos histórias sobre a revolução de 1956, um movimento popular organizado por intelectuais e estudantes, contra a brutalidade do sistema comunista. Em uma tarde, centenas de pessoas se reuniram para protestar em frente ao parlamento.


O problema é que havia soldados russos armados a postos em prédios próximos e eles começaram a atirar na multidão. Em apenas uma tarde, mais de 200 civis morreram. Entre eles, crianças e adolescentes. Nas paredes de um prédio em frente ao parlamento há bolas de ferro mostrando locais em que havia marcas de bala.




Para lembrar este evento trágico, há uma mostra com vídeos, depoimentos e armas soviéticas, em frente ao parlamento. A entrada é gratuita, mas prepare o lenço!



O tour guiado termina no Parlamento, mas se a emoção não foi suficiente, desça até à margem do Danúbio para ver o Monumento Shoes by the Danube, uma homenagem aos judeus que foram fuzilados às margens do rio, mas que antes eram obrigados a tirar os sapatos, já que estes tinham algum valor.



Todo este tour foi em 2 horas, e de lá pegamos um bonde para o Mercado Central, onde almoçamos comidas típicas da Hungria.



Á tarde, eu voltei para conhecer a basílica de Santo Estevão e fazer  algumas comprinhas na Rua Vaci, que tem muitas lojas de roupas e também de souvenir (mas os preços do Mercado Central são melhores)


Mapa de atrações em Lipótváros (clique para navegar)



Bélvaros - Distrito Judeu

Na região de Belvaros, ou Distrito Judeu, alguns pontos imperdíveis são a Grande Sinagoga, o Mercado Central, o Museu Nacional da Hungria e os Ruin Pubs. Além disso, o bairro também tem belos prédios residenciais.



A Grande Sinagoga na Rua Dohani, é aberta à visitação. Mas mesmo de seu exterior, dá pra notar a grandiosidade e beleza do prédio.


Em seu pátio, uma história não tão bonita: um monumento marca o lugar de uma vala comum onde muitos judeus foram enterrados durante a segunda guerra mundial. Não é costume ter cemitério ao lado de sinagogas (ao contrário de igrejas católicas). Mas é preciso lembrar que o distrito judeu era um gueto e os moradores não tinham permissão para sair, muito menos enterrar seus mortos fora dos muros do gueto. A escultura em forma de uma grande árvore traz nas folhas nomes de judeus mortos durante o holocausto.



Próximo à Sinagoga, fica o Museu Nacional da Hungria, o primeiro museu do país (fundado em 1802). Seu imponente prédio, construído em estilo clássico já é uma atração em si. Mas o acervo também é muito bacana para entender a história do país e parte da sua cultura. A partir deste verão (2018), está em exibição o Seuso Treasure - um coleção de peças em prata da época do império romano (em torno do século IV).

Ainda no Belvaros, uma atração são os Ruin Pubs. É bom saber que existem Ruin Pubs, ou Ruin Bars em outros bairros de Budapeste, mas os mais famosos ficam aqui! O mais conhecido é o Szimpla (Szimpla Kert). Fomos lá em um final de tarde tomar um drink, mas depois seguimos para jantar na Gozdu Court  - uma travessa cheia de bares e restaurantes.

Mapa de atrações no Belvaros - clique para navegar




Terézváros - Avenida Andrassy

Nos hospedamos neste bairro e achamos uma ótima escolha. Na região da Avenida Andrassy há museus, a Opera, lojas de grife, restaurantes... Quase em frente à ópera, fica uma loja da D&M, ótimo ponto para comprar cosméticos e até artigos de supermercado.

É também nesta avenida que fica o famoso museu "Casa do Terror", que conta um pouco da ocupação nazista e depois do domínio comunista. Depois de ler alguns dados históricos sobre o museu, me desanimei um pouco de visitar, mas acabei não indo mesmo porque iria sozinha (me desaconselharam a levar o Léo), deixei para o último dia e acabei desistindo.

Para quem estiver com criança, a dica é o Miniversum, um museu de miniaturas que reproduz cenas cotidianas e também períodos históricos da Hungria. O Léo adorou!!


Um mundo em miniatura, no Miniversum

Na própria rua em que me hospedei (Nagymezo) havia alguns museus interessantes como a Hungarian House of Photography. Mas como eu já tinha feito minha "agenda" em Budapeste e nosso tempo foi meio contado, acabei descobrindo isso só depois de voltar pra casa 😭

A Praça dos Heróis e o parque da Cidade também ficam neste bairro. No parque, há um zoológico e as famosas termas de Széchenyi.

Mapa - Roteiro por Térezvaros



Quantos dias ficar em Budapeste

Fiquei impressionada com o tanto de coisa que tem pra se ver e fazer em Budapeste. Os museus merecem um capítulo à parte: são muitos e são ótimos! Vou confessar que achei pouco 3 dias, mas era o que tínhamos e tentamos aproveitar ao máximo. Como era verão, os dias são bem longos e muitos museus fecham mais tarde. Em compensação, pegamos alguns dias quentes que chegamos a voltar pro apê descansar na hora do almoço, para retomar a programação depois das 16h... Outra coisa que atrapalhou um pouquinho é que estávamos lá em uma segunda-feira, dia que a maioria dos museus não abrem.


Roteiro de 3 dias

O roteiro está dividido em 4 dias, porque chegamos em um domingo à tarde e partimos em uma quarta, também à tarde. Para montar este roteiro, me inspirei nos posts dos blogs Uma Senhora Viagem e 360 Meridianos

Dia 01: Chegamos à tarde e fomos passear um pouco pela região do Castelo de Buda. À noite, jantamos em um restaurante próximo a nosso apartamento na Rua Nagymezo (quase vizinho à Avenida Andrassy)

Dia 02: Começamos com um walking tour por Peste e depois almoçamos no Mercado Central. No final da tarde, passeamos pelo Distrito Judeu e conhecemos alguns Ruin Pubs.

Dia 03: Conhecemos o Museu da Cidade de Budapeste, almoçamos e seguimos para o Walking Tour por Buda. Fomos também à Buda Tower e ao final da tarde, relaxamos nos banhos termais. Jantar na Av. Andrassy.

Dia 04: Nosso vôo era à tarde, então aproveitamos a manhã para conhecer o Museu Nacional da Hungria e depois almoçamos no Mercado Central.

Ja viu nosso roteiro completo desta viagem, passando pela Eslovênia e Croácia?

* Nós usamos o Budapest Card de 72 horas, que nos deu acesso a vários museus, transporte público e 2 tours guiados (em Buda e em Peste), além de entrada nos Banhos de Lukacs e direito a locker para deixarmos nossas malas no último dia. Achei que valeu muito a pena!


Quando ir para Budapeste

Vá quando puder e não deixe de ir! Mas se for possível ir fora do auge verão e do inverno, melhor pra você! Em julho, pegamos dias bem quentes, o que não é tão comum, mas em janeiro, as temperaturas podem chegar a -5 e os dias são bem mais curtos. Se não tem medo de frio, em dezembro tem os mercados natalinos na Europa e nos falaram que o de Budapeste é lindo!

Onde se hospedar em Budapeste

Pesquisei bastante sobre os bairros e fui procurando opções com bom custo/benefício e boa localização. Reservei um apartamento pelo Booking (Operett Apartment) e achei ótimo! O apartamento em estilo "studio" tinha cozinha completa, um ótimo banheiro e dormem até 4 pessoas.



Aliás, em toda a viagem ficamos em apartamentos e com exceção de uma cidade, fiz todas as reservas pelo Booking! Veja aqui mais opções de hospedagem para Budapeste!

Qual a moeda da Hungria?

Na Hungria, se usa o florin húngaro. Para converter em reais, a conta mais fácil é dividir o valor em florin por 75, já que 1 real vale aproximadamente 75 florins. Mas fique atento, porque o cambio muda muito! Ah, e provavelmente eles vão aderir ao euro em poucos anos.

Ufa... é isso! Faltou alguma coisa importante? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe um comentário!


Gostou do Post? Salve no Pinterest


Planeje sua viagem para Budapeste!

Se você gosta de nossas dicas e acompanha o blog, que tal fazer as reservas de sua próxima viagem através de nossos parceiros? Você não paga nada a mais e nós ganhamos uma pequena comissão! É só seguir os links:
Reserve seu hotel pelo Booking


Já está nos seguindo?

Fique por dentro de todas as postagens, acompanhando nossas redes sociais: FACEBOOKINSTAGRAMPINTEREST, GOOGLE + e TWITTER. Assine também nosso FEED! Assim, você não perde nenhuma novidade!

* Agradecemos ao Escritório de Festival e Turismo de Budapeste por nos oferecerem o Budapest Card

8 comentários

  1. Budapeste é realmente encantadora e cheia de atrações. Lendo seu post vi que preciso voltar pois tenho muito a conhecer. Boa dica de hospedagem. Roteiro bem legal. Obrigada pela referência ao blog.Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Amei seus relatos sobre Buadapeste, deve ser sem dúvida uma viagem maravilhosa, repleta de história e de belos cenários.

    ResponderExcluir
  3. Que saudade que deu de Budapeste!! Adorei seu roteiro!

    ResponderExcluir
  4. Que roteiro belíssimo e completinho. Eu passei um ano novo congelante em Budapeste e não gostei nada da cidade... achei confusa. Talvez deva voltar... seu roteiro me fez considerar isso
    Viu?! Beijinho

    ResponderExcluir
  5. Vou parar de seguir o seu Blog porque dá vontade de comprar uma passagem e fugir pro destino que vc descreve. Nunca cogitei Budapeste, .... agora já vai pra lista! Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Liliane. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir

Queremos saber sua opinião! Deixe um comentário!!!